Facebook Img Logo
  1. Banner
Mais lidas
Apucarana

Preço do feijão sobe 40% em fevereiro e quilo passa dos R$ 10 em Apucarana

.

Preço do feijão sobe 40% em fevereiro e quilo passa dos R$ 10 em Apucarana Foto: Sérgio Rodrigo
Preço do feijão sobe 40% em fevereiro e quilo passa dos R$ 10 em Apucarana Foto: Sérgio Rodrigo

O preço do feijão não para de subir. O quilo do grão, tradicional na mesa do brasileiro, já ultrapassa os R$ 10 em alguns estabelecimentos de Apucarana. O valor é 40% maior do que o encontrado há menos de um mês. Em comparação com o início da alta, em novembro, os preços aumentaram 356%. Situação tem gerando críticas por parte dos consumidores, que estão tendo que se adaptar na hora das compras.

Na maioria dos estabelecimentos da cidade, o pacote de 1 quilo do feijão carioca está custando entre R$ 8,50 e R$ 10,50. Na última pesquisa realizada pela Tribuna, no dia 25 de janeiro, os valores oscilavam entre R$ 5,50 e R$ 6. Na época, o tom já era de descontentamento por parte dos consumidores: menos de dois meses antes, no final de novembro, os valores giravam em torno de R$ 2,30.Ontem, a diarista Márcia Jarenko, de Apucarana, dedicou um bom tempo fazendo as contas para encaixar o feijão na compra. 

“É difícil porque é um produto básico. Tem que levar, não tem jeito. Não tem como fugir, então tem que pagar”, conta.A alternativa encontrada por algumas pessoas foi comprar o feijão preto. Apesar de também estar mais caro, o preço é menor do que o carioca. É possível encontrar o pacote de um quilo custando entre R$ 4,15 e R$ 7,50. “Tenho uma receita de feijão preto com frango e acho que este é um bom momento para fazer”, afirma o aposentado Laércio Cara.Já Alexandra Ceron, empresária, ainda não tem certeza do que fará. “Está tudo muito caro, tanto um quanto o outro. Assim fica difícil para o consumidor”, reclama.

LAVOURAS
O encarecimento do feijão se deve principalmente à quebra da safra nas regiões produtoras, sobretudo pela seca registrada no segundo semestre do ano passado. A escassez do produto também foi ocasionada por uma redução na área de cultivo. Com a soja valorizada na época do plantio, muitos produtores migraram para esta cultura, vários inclusive da região do Vale do Ivaí.Em novembro, antes que a situação das lavouras se refletisse nos preços, a média nacional da saca de 60 quilos do grão era de R$ 97. Na cotação de ontem, a mesma saca era comercializada custando R$ 244,26. Esta é uma média nacional, mas nas regiões mais próximas, como no interior de São Paulo, o valor chegava a R$ 390.Este é o maior preço em 28 meses. Em outubro de 2016, a média nacional da saca chegou a R$ 280. Os preços devem se manter neste patamar até a próxima safra, que acontece nos meses de maio a junho.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Edhucca

Últimas de Apucarana

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber