Apucarana

Vereador Poim é expulso do partido pelo PSB de Apucarana

Da Redação ·
Vereador Poim nega as acusações
Vereador Poim nega as acusações

Reunidos na noite da última sexta-feira (dia 30), membros da diretoria executiva municipal do PSB (Partido Socialista Brasileiro) de Apucarana decidiram expulsar do partido o vereador Franciley Preto Godoy Poim. De acordo com a executiva, ele cometeu infidelidade partidária durante a campanha eleitoral deste ano, não vinha atendendo a outras orientações do partido nas votações de matérias na Câmara Municipal, além de não responder às notificações da executiva quando interpelado para dar explicações sobre sua conduta política.
Segundo o presidente do diretório municipal do PSB em Apucarana, empresário Ivanildo da Silva, o processo de investigação contra o vereador Poim por infidelidade partidária e outros motivos vinha se arrastando há cerca de 40 dias. Durante todo este período, conforme assinala, o vereador foi notificado a dar esclarecimentos sobre sua conduta política, porém “não deu pelota” para as notificações.
De acordo com Ivanildo da Silva, mais conhecido como Ivan da Sarges Moto, durante a campanha eleitoral deste ano o vereador Poim apoiou um candidato a deputado estadual de outro partido, no caso o Guto Silva, do PSD, quando o PSB tinha dois candidatos a deputado estadual em Apucarana, que eram o Sidney da Kayros e a Viviane Daroda. Além disso, na Câmara de Vereadores tem votado sistematicamente contrário às orientações do partido, que são pela ética e transparência em matérias que tramitam no Legislativo.
Ivanildo cita, por exemplo, que Poim tem votado contrário a vários pedidos de informações apresentados por alguns vereadores na Câmara. “Ora, pedido de informações é um assunto que interessa à população e que o Poder Público Municipal tem o dever de responder. Não existe nada de errado num pedido de informações, que é um direito de todo vereador”, frisa o presidente do partido. Segundo ele, a orientação do PSB é para que todos os pedidos de informações sejam aprovados pelo representante do PSB na Câmara, não interessa de qual vereador venha o pedido.
Além de expulsar Poim do PSB, a Executiva está estudando a possibilidade de requerer sua cadeira na Câmara de Vereadores, sob o argumento de que os votos obtidos pelo vereador pertencem ao partido e não a ele. “Mas esta é uma possibilidade que ainda vamos estudar com o advogado do partido”, declara Ivanildo.

O OUTRO LADO
Procurado pela reportagem da Tribuna, o vereador Poim negou ter cometido infidelidade partidária durante a campanha eleitoral, mas trabalhado de acordo com a sua opção pessoal, além de ter votado na Câmara de Apucarana conforma manda sua consciência pessoal como vereador.
Embora tenha apoiado Guto Silva para deputado estadual, Poim alega que também apoio Leopoldo Meyer, que é do PSB, para deputado federal. Ele esclarece ainda que não atendeu às notificações do partido, porque já sabia que suas explicações não iriam dar em nada. “A decisão deles de me expulsar já estava tomada”, afirma Poim.
Sobre sua expulsão do partido, Poim diz que já está mantendo contatos com um advogado para tomar as providências cabíveis.

 

 

continua após publicidade