Apucarana

Crea faz alerta para cuidados com edificações durante período de chuvas

Da Redação ·
Em Apucarana, uma mulher ficou ferida após ser atingida por uma placa da fachada do shopping Centronorte. - Foto: Sérgio Rodrigo)
Em Apucarana, uma mulher ficou ferida após ser atingida por uma placa da fachada do shopping Centronorte. - Foto: Sérgio Rodrigo)

A primavera e o verão, as estações mais quentes do ano, são aguardadas para quem quer curtir dias de calor, férias e lazer. Mas, existe um outro lado da moeda. Nesta época do ano, a elevação dos termômetros também provoca tempestades e fortes pancadas de chuvas acompanhados de rajadas de ventos, o que gera prejuízos e riscos, principalmente em estruturas que não foram construídas da maneira adequada e representam perigo para as pessoas que utilizam os locais sem devido acompanhamento técnico.

continua após publicidade

Nos últimos dias, as principais cidades do interior paranaense sofreram diversos danos provocados pelas chuvas. Quedas de marquises, alagamentos, desmoronamentos e árvores arrancadas pela força da natureza durante as tempestades, que colocam em risco os moradores dos municípios atingidos.

“Edificações mal planejadas, mal dimensionadas, acabam desabando por conta destas mudanças climáticas. Em Apucarana, por conta do relevo, muitos muros acabam cedendo por causa da pressão da água. Como temos um relevo acidentado, quando temos um grande volume de água, isso chega aos fundos de vales com uma energia muito forte”, explica o gerente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) de Apucarana,
Jeferson Antonio Ubiali.

continua após publicidade

Segundo o engenheiro civil, as contenções mal executadas, principalmente com falhas na estrutura e na drenagem da água pluvial, podem ceder e provocar prejuízos aos moradores destas regiões. “O Crea faz um alerta para que todos os cuidados sejam tomados neste período. Toda atividade precisa ter um responsável técnico, que deve se utilizar da boa técnica e atender as normas para que toda edificação suporte as intempéries, ventos fortes, grandes volumes de chuvas. A participação do profissional é importante para que uma obra seja eficiente e suporte todas as variações climáticas”, ressaltou. 

Na avaliação de Ubiali, a preocupação com a economia em uma obra é importante, mas a segurança deve ser o primeiro item levado em consideração durante uma edificação. “Quando você tem condições climáticas favoráveis, dias de sol sem ventos, essa edificação vai apresentar um bom desempenho, mas a preocupação é com os casos mais críticos com incidência de tempestades e ventos fortes que colocam essa obra à prova. O profissional trabalha para antecipar esses problemas e a presença dele é fundamental para que se tenha uma obra com economia, segurança e eficiente, principalmente em casos mais críticos”, aconselhou.

Defesa Civil
Até o início da manhã de sexta-feira, dia 19, a Defesa Civil do Paraná já havia registrado quase 300 casas danificadas ou destruídas pelas chuvas e ventanias entre os dias 16 e 18 de outubro. O número de paranaenses afetados passa de 3 mil. Os dados ainda estão sendo atualizados pelo Estado. Em Apucarana e Arapongas, foram registrados cerca de 20 destelhamentos, desabamento de pelo menos uma estrutura, além de inúmeras quedas de árvores.