Apucarana

Licitação do transporte coletivo em Apucarana exige alterações em legislação

Da Redação ·
Serviço de transporte coletivo é prestado a título de permissão desde a década de 1970 - Foto: Sérgio Rodrigo
Serviço de transporte coletivo é prestado a título de permissão desde a década de 1970 - Foto: Sérgio Rodrigo

A Prefeitura de Apucarana enviou para a Câmara dos Vereadores um projeto para alterar a lei nº 162/2007, que regulamenta o transporte coletivo no município. A alteração é a última etapa necessária para a publicação do novo edital de licitação do serviço. Vereadores devem realizar sessões extraordinárias na próxima semana para aprovar o projeto e viabilizar a publicação do edital já no próximo mês.

continua após publicidade

A lei consta em investigação do Ministério Público (MP), do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria). 

De acordo com as investigações, que culminaram neste ano com uma denúncia contra o ex-prefeito Valter Pegorer e outras oito pessoas, a lei foi criada para fraudar futura concorrência pública para concessão do serviço de transporte coletivo.

continua após publicidade

“É importante ajustar esta lei para que não haja problemas ou discrepâncias entre a legislação municipal e o edital de licitação. Só com esta segurança jurídica é que podemos divulgar o documento e dar início ao processo de contratação de uma empresa de transporte público de modo limpo e transparente”, afirma Paulo Vital, procurador-geral do município.Segundo ele, entre as várias alterações no edital, uma das principais é o modelo da licitação. 

“A lei prevê uma licitação técnica e de preços. Porém, como as exigências técnicas já constam no próprio processo licitatório, a disputa será baseada apenas no preço. Ou seja, a empresa que apresentar proposta com menor valor de tarifa vence”, destaca.

Exigências
Alguns pontos da licitação já são conhecidos. Um deles é que todos os ônibus respeitarão as normas de acessibilidade. Também já está definido que haverá um sistema de controle com relatórios diários, que apontarão o trecho percorrido, número de passageiros, entre outras informações que auxiliarão a Prefeitura na fiscalização do serviço. Outra tecnologia que será implantada é a integração temporal. 

continua após publicidade

Com ela, o usuário poderá utilizar quantos ônibus necessitar, sem pagar uma nova passagem, dentro de um determinado tempo. A futura concessão será estabelecida por um período de 15 anos.Atualmente, o transporte público coletivo é prestado pela VAL através de autorização, que já dura 47 anos. A necessidade de uma licitação para o transporte coletivo de Apucarana é discutida desde os anos 90.Uma licitação chegou a ser realizada, mas ficou marcada por disputas judiciais entre as empresas que disputavam a concessão e também a que elaborou a licitação. 

Em 2012, o certame foi suspenso pela Prefeitura e, posteriormente, pelo Ministério Público. Atualmente, 30 mil pessoas utilizam o transporte urbano em Apucarana todos os dias. O sistema possui 28 linhas, percorridas por 65 ônibus. São mais de 600 pontos de embarque e desembarque. A tarifa custa R$ 3.