Apucarana

Macrorrede renova pacto de combate à violência contra a mulher

Da Redação ·
A união entre os órgãos que compõem o pacto também foi apontada como segredo do sucesso dos trabalhos (Foto: Edson Denobi)
A união entre os órgãos que compõem o pacto também foi apontada como segredo do sucesso dos trabalhos (Foto: Edson Denobi)

A Secretaria da Mulher e Assuntos da Família da Prefeitura de Apucarana, em parceria com a Comissão da Mulher Advogada de Apucarana, Poder Judiciário e serviços da macrorrede de atendimento à mulher, realizou na quarta-feira (13/12), no auditório da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), ato de repactuação do Pacto Municipal pelo Enfrentamento das Violências contra as Mulheres. 

continua após publicidade

Pactuado em 30 de novembro de 2015 por mais de 30 órgãos públicos, entidades e outras organizações sociais representativas de Apucarana, a iniciativa consiste em um termo de cooperação intersetorial que realiza o fomento e fortalecimento das políticas públicas de combate às violências.

A renovação dos objetivos marcou ainda o encerramento da programação da campanha “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra a Mulher. “Apucarana encerra o ano de 2017 positivamente no que tange o atendimento às mulheres e esta repactuação constitui um momento de coroamento de dois anos de muito trabalho, com inúmeras conquistas por parte da macrorrede”, pontuou Denise Canesin Moisés Machado, secretária da Mulher e Assuntos da Família da Prefeitura de Apucarana.

continua após publicidade

Tendo como base o Centro de Atendimento à Mulher (CAM), que oferece gratuitamente atendimento social, psicológico e jurídico, Denise detalhou os avanços atraídos pelo pacto ao longo dos últimos dois anos, destacando os projetos que contribuíram para que muitas vítimas conseguissem romper com a situação de violência em que estavam envolvidas. 

“Foram mais de 3 mil intervenções realizadas, com conquistas que possuem amparo legal, como a concessão de auxílio-moradia, passagens intermunicipal ou interestadual para vítimas com risco de morte, ação com municípios vizinhos para acolhimento em casas-abrigos, entre outras ações protetivas em casos em que a mulher necessita se distanciar do agressor”, relatou a secretária.

Ela também enalteceu a proximidade com os integrantes do pacto. “Hoje a Delegacia da Mulher nos notifica de todos os casos e realizamos a busca ativa, contando com um conselho municipal pró-ativo, todo apoio do Judiciário, da Promotoria Pública e de uma série de parceiros que formam a macrorrede, que contribuem para a segurança/proteção, saúde, educação, qualificação profissional, entre outras áreas e, sobretudo, temos um prefeito sensível a causa, que possibilita todo este trabalho que abre oportunidades a todas as mulheres apucaranenses”, afirmou Denise Canesin.

continua após publicidade

A união entre os órgãos que compõem o pacto também foi apontada como segredo do sucesso dos trabalhos. “Sempre digo que os poderes são independentes, mas devem caminhar de forma harmônica, e é o que acontece em Apucarana. Como juiz de Direito me sinto envaidecido em fazer parte desta comarca, que oferece serviços de proteção à mulher bem estruturados. Parabéns a secretária Denise e ao prefeito Beto Preto. Sem esse diálogo entre órgãos e entidades os resultados seriam pífios”, declarou o juiz Osvaldo Soares Neto, diretor do Fórum Desembargador Clotário Portugal.

Relatando experiências de atendimento à violência contra a mulher quando era médico plantonista, o prefeito Beto Preto disse que muitos casos – uma vez não denunciados às autoridades – acabavam virando apenas estatísticas de trauma. “Infelizmente ainda hoje lutamos contra esse problema e, às vezes, parece que estamos “enxugando gelo”. Contudo, pactos como estes são relevantes e mostram que em Apucarana não medimos esforços para criar e executar políticas públicas que promovam a ruptura da naturalidade deste tipo de violência, que tragam diminuição e até mesmo a erradicação deste crime, que é carregado de uma cultura secular, histórica, baseada no sexismo”, contextualizou o prefeito.

De acordo com ele, o diálogo sobre o assunto e a documentação de metas contribui para o combate. “A violência contra a mulher acontece todos os dias e este pacto é a prova de que a sociedade de Apucarana está à disposição para ampliar o diálogo no sentido de montar uma história diferente, empurrando para longe o que não é ruim e atraindo o que é importante”, concluiu Beto Preto.

continua após publicidade

Ele falou ainda da importância da denúncia. “Mulheres que estão sendo vítimas de violência ou pessoas que presenciarem agressões devem efetivar denúncia pelo número “190” da Polícia Militar”, orientou. A população pode conseguir orientação sobre o atendimento gratuito do Centro de Atendimento à Mulher (CAM) pelos telefones 3422-4479 ou 0800-645-4479 (ligação gratuita). O CAM funciona na Rua Castro Alves, 1629 – Jardim América.

Presenças – Participaram da mesa de honra da solenidade o prefeito Beto Preto, o juiz Osvaldo Soares Neto, a secretária Denise Canesin Moisés Machado, a delegada da Polícia Civil/Delegacia da Mulher, Luana Lopes, o promotor de Justiça Fabrício Dumond Monteiro, o presidente da OAB/Apucarana, Carlos Antônio Stoppa, a presidente da Comissão da Mulher Advogada de Apucarana, Franciele Gonçalves Cruz, a chefe do escritório regional da Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social, Juliana Eliza da Silva, o comandante 4º Subgrupamento de Bombeiros Independente (SGBI) de Apucarana, major Roberto Geraldo Coelho, e representante do comando do 10º Batalhão da Polícia Militar do Paraná em Apucarana (10º BPM), tenente Willian Strugala