Mais lidas
Apucarana

Verticalização começa a ganhar força fora do centro

.

O número de edifícios sendo construídos em Apucarana tem aumentado ao longo dos anos. Um nicho que tem se destacado neste avanço são os empreendimentos residenciais, sobretudo fora do anel central da cidade. De acordo com construtoras, o aumento neste tipo de investimento acontece por haver uma demanda reprimida ao longo de anos e também por apresentar maior viabilidade.

Secretário de Obras e Serviços Públicos de Apucarana, Herivelto Moreno, acredita que o aumento de prédios fora do centro da cidade se deve a uma alteração na legislação, ocorrida em 2014, o que abriu novas oportunidades de exploração de terrenos. 

“Em 2014, houve uma alteração no Plano Diretor do município, aumentando as áreas onde prédios com maior altura poderiam ser erguidos. Essa alteração se provou um sucesso à medida que muitos empreendimentos buscaram alvarás na cidade para esse tipo de empreendimento. Sabíamos que haveria um aumento na procura, mas até nós nos surpreendemos com o grande volume”, disse.Outra alteração feita também no Plano Diretor foi a criação de novos eixos de comércio fora do centro da cidade. 

“Muitos prédios aproveitaram essa nova configuração construindo salas comerciais no térreo e apartamentos nos andares superiores. Isso ajuda a viabilizar os projetos, além do fato de que os terrenos fora do centro são mais baratos. Esta também é uma das principais explicações para o aumento dos empreendimentos nos bairros”, diz Herivelto.

De acordo com ele, 688 alvarás para a construção de novos empreendimentos imobiliários foram expedidos entre janeiro e novembro de 2017. O número é praticamente idêntico ao obtido em todo o ano passado, quando 689 alvarás foram expedidos. 

“Acreditamos que, como ainda faltam alguns dias para o ano acabar, que 2017 fechará com um número superior ao de 2016. No entanto, é importante salientar que muitos dos empreendimentos sendo construídos atualmente não tiveram os seus alvarás expedidos neste ano. Projetos como estes demoram entre seis meses a um ano para terem início, por serem mais complexos”, diz. Entre 2013 e 2015, quase 3,3 mil alvarás foram expedidos, o que se reflete no grande número de construções atualmente.

EMPREENDIMENTOS
Sócio-proprietário de uma construtora com atualmente cinco prédios de grande porte sendo construídos em Apucarana, Luiz Antônio Rodrigues ressalta que o mercado imobiliário, que havia desacelerado no ano passado, voltou a crescer. Segundo ele, os empreendimentos fora do centro da cidade é uma tendência que ainda pode ser muito mais explorada.

“Existem várias construções na cidade fora do centro atualmente, mas acredito que poderíamos ter ainda mais. Imóveis ainda são uma boa forma de investimento e as pessoas acreditam nisso. Muita gente tinha terrenos e esperavam a oportunidade chegar para iniciar essas obras, o que está acontecendo agora. Havia uma demanda reprimida”, ressalta.

Ele afirma que um crescimento maior da construção civil depende de mais incentivos, sobretudo do Governo Federal. “Nossa expectativa é que, no próximo ano, sejam criadas novas linhas de crédito para facilitar os financiamentos desses empreendimentos. Isto, além de viabilizar mais construções, se refletiria na criação de empregos também”.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber