Mais lidas
Apucarana

Vereadores discutem coleta de lixo doméstico e reciclável em Apucarana

.

Cocap fará cadastro de famílias com interesse de participar de pesquisa da coleta seletiva (Sérgio Rodrigo)
Cocap fará cadastro de famílias com interesse de participar de pesquisa da coleta seletiva (Sérgio Rodrigo)

Vereadores de Apucarana discutiram os problemas que envolvem a destinação de lixo em Apucarana. Representantes da Cooperativa dos Catadores de Apucarana (Cocap) e da empresa Costa Oeste foram sabatinados na sessão de ontem da Câmara. Em busca de alternativas para quitar dívidas, melhorar o rendimento dos associados e a qualidade do material coletado, a cooperativa inicia amanhã um projeto piloto na região da Vila São Carlos, que visa aumentar a coleta de material reciclável.

O interventor Antônio Roberto Nogueira, que está à frente da Cocap nos últimos seis meses por determinação da 2ª Vara da Fazenda Pública de Apucarana, explica que voluntários vão visitar as residências, da Vila São Carlos, e fazer o cadastramento das famílias que tenham interesse em participar da coleta seletiva. “Depois de fazer o cadastro, as famílias vão receber orientação de como fazer a separação de todo material reciclável, que deverá ser feito numa sacola especial do projeto”, diz.

O cadastro será feito por cerca de 40 voluntários, da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), da Igreja Missionária Unida e da Cáritas, de Apucarana. “Com isso, esperamos aumentar a quantidade de material coletado e também a qualidade, evitando o descarte. Com o projeto piloto também pretendemos identificar falhas antes de expandir para outras regiões da cidade”, diz.

Atualmente, segundo Nogueira, a Cocap recolhe, em média, 240 toneladas de recicláveis, quantidade 20% superior de quando foi iniciada a intervenção. O número de coletores também aumentou, passando de 38 para 45, que são remunerado com salário mínimo.

Nogueira, no entanto, reconhece que o pagamento, apesar de estar normalizado, ainda não é feito no 5º dia útil de todo mês. “Conseguimos pagar os salários atrasados dos colaboradores, mas como o nosso maior contrato é com a Prefeitura de Apucarana, que vence todo dia 15, o pagamento está atrasando um pouco, mas tem sido feito. A nossa meta, a partir de 2018, é normalizar definitivamente os salários”, diz.

Além disso, conforme o interventor, é quitar todas as dívidas da Cooperativa. “Estamos conseguindo quitar mês a mês os fornecedores, mas, de vez em quando, surge uma nova conta a ser paga”, diz.

Costa Oeste questionada 
Além da Cocap, a empresa Costa Oeste também foi convocada pelos vereadores na sessão ordinária de ontem. O vereador Gentil Pereira (PV) foi um dos que questionou a empresa. “Estes amontoados de lixo atrapalham. Não há como fazer a coleta de outra maneira?”, perguntou ele. Já o vereador Luciano Augusto Molina (REDE), disse que os sacos de lixo no meio da rua precisam ser coletados mais rapidamente. “É importante que o caminhão de lixo e o coletor que vai à frente juntando os sacos de lixo fiquem mais próximos”, disse.

O supervisor operacional da empresa, Ronaldo Cézar Abreu, afirmou que medidas já estão sendo tomadas para minimizar os problemas. “O amontoamento de lixo em um ponto único da rua é um método realizado por iniciativa dos próprios coletores, visto que este é um trabalho muito duro e desgastante. É uma maneira de facilitar o trabalho para eles e também aumentar a segurança, visto que, assim, eles podem pegar o lixo com mais cuidado. Ainda tem muita gente que coloca cacos de vidro e seringas no lixo sem tomar o devido cuidado”, diz. 


×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber