Mais lidas
Apucarana

Canoagem ajuda jovem apucaranense a superar amputação

.

Giovane Vieira de Paula sofreu um acidente grave aos 11 anos e hoje é destaque no esporte
Giovane Vieira de Paula sofreu um acidente grave aos 11 anos e hoje é destaque no esporte

Quem vê o sorriso fácil e a alegria de Giovane Vieira de Paula não tem ideia de todas as atribulações que ele passou. O jovem de 19 anos veio de uma família humilde de três irmãos que residem no residencial Sumatra, zona leste de Apucarana. Como tantos outros, gosta de ouvir música e mexer nas redes sociais pelo celular. Mas a sua maior paixão é a canoagem. Uma paixão que mudou suas perspectivas de vida.
Quando tinha apenas onze anos, Giovane sofreu um grave acidente de trem. Ele subiu em um vagão da composição férrea que estava parada e foi surpreendido quando o trem começou a se movimentar. Em cima do trem, ele seguiu até o município de Mauá da Serra. 
Com medo de ir cada vez mais longe de casa, ele tentou descer, caiu, e teve sua perna esquerda amputada. Após a tragédia e desentendimentos familiares, ele foi morar na “Casa Lar”, projeto mantido pela prefeitura e que tem por objetivo o acolhimento de adolescentes. A partir daí, sua vida mudou completamente, ele começou a praticar natação e depois disso conheceu a canoagem, atividade pela qual se apaixonou.
Hoje sua rotina de treinos é puxada, ele acorda às 4 horas da manhã, logo em seguida pega o ônibus metropolitano que vai até Londrina. Chegando lá, pega mais um ônibus coletivo que o leva até o Iate Clube. Daí começa seu treinamento que dura cerca de três horas, de segunda a sábado. Ele é acompanhando no seu treino pelo seu incentivador, o paracanoísta olímpico Igor Tofalini.
Giovane alcançou em pouco tempo grandes títulos na canoagem. Foi medalha de prata na Copa do Brasil de Canoagem nos 500 metros, vice-campeão no Campeonato Brasileiro de Canoagem nos 200 metros e medalha de bronze nos 500 metros. Campeão Pan-americano no Equador e campeão do Parajaps 2017 em duas categorias.

TÓQUIO
“Participar das Paraolimpíadas de Tóquio, em 2020, é o meu objetivo”, afirma Giovane. Tudo o que ele fará a partir do próximo ano será pensando na próxima edição da competição. Ele acredita que 2018 será um marco em sua carreira. Dos treinos três horas diárias, ele passará a trabalhar em período integral e ampliar sua participação em torneios. 
Entre eles buscará o bicampeonato no ParaJaps que será realizado em Apucarana no ano que vem. “Pra mim será um orgulho defender minha cidade nessa competição”, ressalta o atleta. Outro grande objetivo é conseguir uma prótese para poder melhorar seu desempenho. “Com uma prótese adequada e equipamentos eu fico mais independente para poder fazer meus treinamentos. Hoje é preciso que alguém coloque o barco na água e me ajude a entrar e sair”, conta Giovane. 
Quando começou a nadar, aos 13 anos, Giovane não imaginava onde poderia chegar. Mas tinha a certeza de que queria ir longe. “Não imaginava, mas sempre sonhei muito alto. Meu técnico sempre me fala que eu posso ir longe. E nesse tempo eu fui vendo que posso mesmo”, afirma. “Quando decidi iniciar na canoagem coloquei na minha cabeça que queria ir em frente. Como sou novo ainda, estou apostando no sonho.”

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber