Mais lidas
Apucarana

Hospital Materno Infantil orienta sobre rotavírus

.

Dr. Ataíde Valente
Dr. Ataíde Valente

O rotavirus é o agente causador de doença diarreica de transmissão fecal-oral, pode se disseminar rapidamente por contato pessoal, alimentos e objetos contaminados. Pais e responsáveis por crianças menores de 5 anos devem redobrar a atenção aos pequenos que tem maior propensão de contrair a doença.

Segundo o médico pediatra do Hospital Materno Infantil de Apucarana, Dr. Ataíde Valente os principais sintomas do rotavirus no organismo são vômitos, diarreia líquida, febre, falta de apetite, irritação e prostração. “É importante que os pais e responsáveis estejam atentos ao estado de saúde da criança e caso ela apresentar algum desses sintomas deve-se procurar um especialista para a avaliação médica”, explica.

O rotavirus tem um período de encubação de três dias, que é o tempo que o vírus fica no organismo, mas não se manifesta. Após esse período os sintomas aparecem e podem durar até uma semana. De acordo com o médico pediatra a doença pode causar desidratação grave e debilitar o organismo propiciando a ocorrência de outras doenças. “Com o diagnóstico médico analisaremos se a criança deve ser internada para receber hidratação e medicação endovenosa ou se o tratamento pode ser continuado em casa, com hidratação, repouso e dieta rica em nutrientes e minerais”, afirma.

Precauções

De acordo com a enfermeira do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Materno Infantil, Jéssica Lopes os modos de evitar a contaminação são simples. Ela ressalta a importância da higiene das mãos pelas crianças e responsáveis. “É de extrema importância a higiene das mãos após a troca de fraldas e antes de manipular alimentos. Os responsáveis devem lavar bem as frutas, verduras e legumes e a água consumida deve ser filtrada ou fervida”, orienta. “Tanto em casa como em escolas e creches os responsáveis devem ensinar e influenciar para que as crianças realizem a higienização das mãos após uso do banheiro e antes das refeições”, conclui.

A enfermeira ainda aponta que o repouso é importante para o paciente. “Orientamos também que a criança com a doença fique em repouso e evite lugares com aglomerações de pessoas para que o rotavirus não seja transmitido”, orienta Jéssica.

A vacinação contra o rotavirus faz parte do Programa Nacional de Imunizações e as crianças recebem as vacinas de acordo com o calendário vacinal. “Com a vacina a criança fica mais protegida de contrair o rotavirus. É importante vaciná-la e continuar observando seu o estado geral e aparecimento dos sintomas da doença”, finaliza o Dr. Ataíde.

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber