Apucarana

Miro" o capitão do futsal bicampeão

Da Redação ·
Miro" o capitão do futsal bicampeão fonte: Reprodução

Em 59 edições dos Jogos Abertos do Paraná (JAPS), Apucarana participou quase todos os anos. E, especialmente, a geração dos anos sessenta e setenta do futebol de salão apucaranense, deixou muitas saudades. "Naqueles anos, Apucarana formou grandes times e era respeitada em todo o Paraná no futsal", lembra o bancário aposentado Reuvalmiro Gomes Costa, 71 anos.

Conforme relata o fixo e capitão dos títulos de 1968 (Arapongas) e 1973 (Maringá), tudo começou com um grupo de amigos que formaram o "Ases de Ouro", um lendário time de futebol de salão. "Com esse time nós trouxemos para amistosos, a Seleção do Paraquai, o Penharol (Uruguai), Palmeiras, Corinthians, Grajaú-RJ e Atlético-MG, além da Seleção Brasileira, na época representada pela fortíssima equipe do Sumov (Ceará)", conta Miro.

continua após publicidade


Com muita dedicação ao futsal que, na época, foi impulsionado com a inauguração do Ginásio de Esportes do Clube 28 de Janeiro, a seleção local ficou muito competitiva. Já em 1968, quando os JAPS foram sediados por Arapongas, a seleção apucaranense fez a final do futsal contra Londrina. Miro era o capitão do temido time que contava com Chico Soneira, os irmãos Marcos e Márcio Riva, Duduto, Tadeu, Ivo Jandaga, Coxim, Serea, Sacola, Beteli e Bassinho entre outros.
Na final, Apucarana vencia o primeiro tempo por um a zero, quando Miro saiu do jogo com o pé direito quebrado numa dividida. "Fui para o hospital e quando estava engessando o pé, chegou um dirigente e me colocou a medalha no peito", conta Miro, revelando que Apucarana foi campeã com o placar de 2 a 1. Cinco anos depois, o futsal de Apucarana voltaria a brilhar em Maringá.