Apucarana

Medo de acidentes com trens gera alerta em bairros de Apucarana

Da Redação ·
Moradores próximos à linha férrea em Apucarana têm medo de acidentes. Foto: Tribuna do Norte
Moradores próximos à linha férrea em Apucarana têm medo de acidentes. Foto: Tribuna do Norte

Moradores próximos à linha férrea em Apucarana estão apreensivos. Além de reclamarem do barulho das composições e até de danos materiais causados pela vibração, o medo maior é de descarrilamentos. O acidente mais recente aconteceu nesta semana e envolveu 11 vagões no Distrito do Pirapó.

continua após publicidade

O acidente no distrito aconteceu na madrugada da última segunda-feira (21). Ao todo, 11 vagões carregados com açúcar descarrilaram na entrada secundária do Pirapó. Na tarde de ontem, funcionários da empresa Rumo Logística, que possui a concessão para operar na malha ferroviária da região, ainda trabalhavam para liberar a passagem em mesmo nível.

Apucarana possui aproximadamente 15 quilômetros de linha férrea em área urbana. Com dois ramais ferroviários encontrando-se no perímetro urbano, diversos bairros são cortados pela ferrovia. Um deles é o Jardim Diamantina, que possui uma característica peculiar: a linha férrea passa a cerca de cinco metros acima do nível das casas.

continua após publicidade

“Um descarrilamento aqui seria uma tragédia. O trem cairia em cima das casas. Dá muito medo de viver aqui. Só esperamos que a manutenção da linha esteja sendo feita da forma correta. O problema é que até a roçagem demora para ser feita. Vemos muitos trens por aqui que ficam parados porque quebraram”, afirma a pensionista Zelinda Godoy, que mora no local há décadas.

A dona de casa Josimeire Aparecida Merigio se mudou nesta semana para a mesma região, mas já pensa em se mudar. “Tenho medo. O trem passa bem em cima da minha casa. Não dá para prever se um acidente vai acontecer. Não sabemos se a conservação está sendo feita”, afirma.

Em nota, concessionária Rumo afirma que “os moradores ouvidos pela reportagem não têm as qualificações técnicas necessárias para fazer, a partir de impressões, uma análise fundamentada sobre a segurança da linha férrea”.

A nota aponta ainda os investimentos feitos em manutenção das ferrovias. “Desde que a Rumo assumiu a ALL, em abril de 2015, já foram investidos mais de R$ 1,5 bilhão na modernização da frota de locomotivas e vagões, na melhoria da linha férrea e em programas de segurança que possibilitaram reduzir em 84% o índice de descarrilamentos no Paraná”, ressalta o texto.