Apucarana

Terapia nutricional auxilia na recuperação de pacientes 

Da Redação ·
Cardápio variado ajuda na recuperação dos pacientes. Foto: Ilustração
Cardápio variado ajuda na recuperação dos pacientes. Foto: Ilustração

Quem disse que comida de hospital tem que ser ruim? Legumes, verduras frescas e até feijoada são alguns dos itens que fazem parte do cardápio do Hospital da Providência que mantém um serviço de nutrição e dietética acompanhado por quatro nutricionistas e mais de 40 funcionárias para atender durante 24 horas e servir mais de 33 mil refeições todos os meses.

continua após publicidade

De acordo com a nutricionista coordenadora do Serviço de Nutrição e Dietética, Hellen Silva além da atenção com o cardápio geral, também é feito atendimento individualizado para pacientes que precisam de avaliação nutricional e cuidados médicos. 

“A terapia nutricional é bastante integrada com o tratamento clínico realizado pelo médico. Em média, realizamos cerca de 200 avaliações por mês e acompanhamos o paciente até o momento que ele recebe alta”, explica.

continua após publicidade

Segundo Hellen, há casos em que o paciente deixa de se alimentar, o que pode prejudicar seu processo de recuperação. “Nesse momento a partir da solicitação do médico responsável, o Serviço de Nutrição avalia o porquê do paciente não se alimentar. Às vezes a maneira que o paciente se alimenta quando está em casa é diferente, então nós fazemos o possível para oferecer uma refeição que se assemelhe com o que ele está acostumado a comer na própria casa”, comenta.

A terapia nutricional é tão relevante para a recuperação da saúde que em alguns casos a mudança na alimentação pode reduzir sérias complicações. Um exemplo são as lesões por pressão, ocasionadas principalmente em pacientes acamados com dificuldade de mudar de posição e que em 70% dos casos podem ser prevenidas através da alimentação. “Há pacientes que chegaram ao hospital apresentando lesões por pressão e a partir da dieta adequada conseguimos a melhora do seu quadro clínico”, afirma.

A equipe ainda busca acabar com o mito de que as refeições de hospital não agradam ao paladar. ”Tentamos constantemente desmistificar que comida do hospital é algo ruim. Se o paciente estiver internado com o braço quebrado e nenhuma complicação, ele não precisa comer uma sopa simples, sem tempero. Por que não uma feijoada? Nós queremos que o paciente saiba que ele pode e que preparamos isso para ele”, afirma a nutricionista.

Terapia nutricional auxilia na recuperação de pacientes  fonte: Reprodução