Apucarana

Júri de homem que matou a esposa para ficar com a sogra é marcado para fevereiro

Da Redação ·
Foto: Arquivo
Foto: Arquivo

A Justiça da Comarca de Apucarana (norte do Paraná) informou que provavelmente será marcado para o dia 21 de fevereiro de 2017 o júri popular de Bruno da Costa, acusado de matar a esposa, a comerciante Jéssica Carline Ananias, com 22 anos na época do fato. O crime aconteceu em maio de 2013, na residência onde o casal morava. De acordo com a Policia Civil, Costa tentou forjar um latrocínio, pois mantinha um caso com a mãe da esposa, Célia Forti. Jéssica foi morta com mais de 20 golpes de faca. Além de chocar a população de Apucarana, o caso teve repercussão nacional. 

continua após publicidade

Bruno foi preso no mesmo dia, confessou o crime e atualmente está na Penitenciária Estadual de Londrina (PEL). Bruno vai a júri popular juntamente com a amante Célia Forti, acusada pelo Ministério Público de ser a mentora do homicídio. Os dois tentaram simular um latrocínio para que pudessem ficar juntos. Eles tinham um plano de fugir para Rondônia, mas a filha descobriu o caso extraconjugal e chegou a dar uma surra em Célia.

Denúncia do Ministério Público
De acordo com denúncia do MP, com o auxílio de dois amigos, Bruno simulou um roubo para matar a esposa Jéssica Carline Ananias da Costa com golpes de faca. A filha do casal, na época do crime com quatro anos, estava na moradia no momento do assassinato, mas dormia e não presenciou o homicídio. 

continua após publicidade

O crime aconteceu na residência do casal, no bairro da Igrejinha, na zona sul de Apucarana, em 9 de maio de 2013. Ainda conforme o MP, a própria mãe da vítima, Célia Forti teria ajudado a planejar o assassinato da filha para ficar com o genro, com quem mantinha relacionamento amoroso e sexual há quatro anos.