Apucarana

Empresa terceirizada pela ANP inicia estudo para exploração de petróleo em Apucarana e região

Da Redação ·
A empresa Global Serviços Geofísicos, terceirizada pela ANP, iniciou nesta semana o primeiro estudo para prospecção de petróleo e gás natural em Apucarana - Foto: Delair Garcia
A empresa Global Serviços Geofísicos, terceirizada pela ANP, iniciou nesta semana o primeiro estudo para prospecção de petróleo e gás natural em Apucarana - Foto: Delair Garcia

A empresa Global Serviços Geofísicos, terceirizada pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), já iniciou nesta semana o primeiro estudo para prospecção de petróleo e gás natural em Apucarana (norte do Paraná)

continua após publicidade

Em Apucarana, a pesquisa já foi realizada em área rural próximo ao Aeroporto Municipal Capitão João Bussi e no Contorno Sul (trecho da BR-376 - Rodovia do Café). De acordo com populares, quando entram em operação as máquinas usadas para realizar o estudo provocam tremores no solo. Técnicos explicam que as ondas de choque viajam pela terra e são refletidas de volta pelas rochas no subsolo. Tudo é registrado por sensores, produzindo um tipo de mapa do que está embaixo da terra (método sísmico). Desta forma, ressaltam os técnicos, é possível identificar uma jazida de gás ou de petróleo.

A sondagem prossegue até o final do ano em 177 cidades no Paraná. As informações obtidas serão inteiramente públicas, e, depois da conclusão do projeto, estarão disponíveis para consulta no Banco de Dados de Exploração e Produção da ANP – www.bdep.gov.br (BDEP).

De acordo com geólogos, a Bacia Sedimentar do Paraná possui diversos indícios da ocorrência de petróleo e gás natural, mas ainda não possui campos produtores. Por essa razão a pesquisa tem a finalidade de aumentar o conhecimento sobre o potencial petrolífero dessa grande bacia sedimentar.

continua após publicidade

A direção da ANP acrescenta que o estudo é regional e pesquisas mais detalhadas são necessárias para identificar possíveis acumulações de petróleo, pois a sísmica é um método indireto de pesquisa. "Só com a perfuração de poços é que se pode comprovar a presença de petróleo", frisam geólogos.

VALE DO IVAÍ 
Na região do Vale do Ivaí (norte do Paraná), a presença de algumas máquinas e a colocação de estacas nas margens de rodovias tem despertado a curiosidade de pessoas. O levantamento é feito com sistema de pesquisa sísmica de reflexão, que usa grandes caminhões com equipamentos de emissão de sinais para coleta de imagens do solo. O tamanho das máquinas e a vibração provocam curiosidade.  

LICITAÇÕES
A empresa Global Serviços Geofísicos venceu em 2015 duas grandes licitações promovidas pela ANP para os levantamentos, em contratos que tinham valores iniciais na faixa de R$ 140 milhões. A avaliação é feita pelo cálculo de tempo que a onda demora para atingir o receptor, como em um sistema de sonora, e permite avaliação do solo e eventual material depositado.   

continua após publicidade

A empresa Global divulgou nota sobre
os trabalhos realizados na região 

"A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) está realizado uma pesquisa sísmica na Bacia Sedimentar do Paraná, que abrange municípios dos estados do Paraná e São Paulo. A pesquisa realizada não agride o meio ambiente e nem tem relação com fraturamento hidráulico ou gás não convencional ("gás de xisto").  A ANP tem a atribuição legal de fazer estudos geológicos para aumentar o nível de conhecimento sobre as bacias sedimentares brasileiras. Uma bacia sedimentar é uma depressão da crosta terrestre onde se acumulam rochas sedimentares que podem ser portadoras de petróleo ou gás, associados ou não.  Esse projeto foi contratado pela ANP em 2015. Insere-se no Plano Plurianual de Estudos de Geologia e Geofísica da ANP, que é um programa de aquisição sistemática de dados geológicos e geofísicos para aumentar o conhecimento das bacias sedimentares de nova fronteira. 

Os recursos financeiros advém do Programa de Aceleração do Crescimento do Governo Federal (PAC).  Essa pesquisa sísmica utiliza caminhões vibradores que emitem vibrações (ondas sonoras) em pontos predeterminados ao longo das rodovias envolvidas na locação do projeto. Essas ondas atravessam as rochas que ocorrem em subsuperfície, são refletidas e retornam para a superfície, onde são registradas em equipamentos específicos, denominados geofones. A partir do tempo de viagem das ondas sonoras e posterior tratamento dos dados, são geradas imagens do subsolo. Nessas imagens é possível identificar e rastrear as camadas rochosas que ocorrem em subsuperfície. 

continua após publicidade

A pesquisa possibilita avaliar se a configuração é ou não adequada para a geração e acumulação de petróleo ou de gás natural.  A pesquisa sísmica com caminhões vibradores é realizada em estradas federais, estaduais e municipais. A área do estudo inclui 177 municípios do Estado do Paraná e em 90 municípios do Estado de São Paulo. Os dados adquiridos serão inteiramente públicos e, após a conclusão do projeto, estarão disponíveis para consulta no BDEP (Banco de Dados de Exploração e Petróleo", afirma a nota.

Empresa terceirizada pela ANP inicia estudo para exploração de petróleo em Apucarana e região fonte: Reprodução