Apucarana

Delegada de Apucarana é cotada para assumir a diretoria-geral da PF

Da Redação ·
A delegada Èrika Mialic Marena pode ser a primeira mulher a assumir a diretoria geral da PF - Imagem: Reprodução/Youtube
A delegada Èrika Mialic Marena pode ser a primeira mulher a assumir a diretoria geral da PF - Imagem: Reprodução/Youtube

A delegada federal Érika Mialik Marena, natural de Apucarana (Norte do Paraná), é uma das principais investigadoras da Lava Jato (e quem deu nome à famosa operação) e está na iminência de se tornar a nova diretora-geral da Polícia Federal, conforme publicação no blog Coluna da Esplanada (UOL), do jornalista Leandro Mazini. De acordo com Mazini, Érika já tem o indicativo da maioria dos votos da lista tríplice da categoria, recém elaborada pela Associação de Delegados de PF e que será apresentada nesta segunda-feira (30). A apucaranense pode ser a primeira mulher a comandar a corporação. Ela é de classe especial como manda a regra da escolha (mais de 10 anos de carreira), trabalhou em investigações e operações de campo e especializou-se em investigação contra o crime organizado.

A TROCA
O Governo Michel Temer foi avisado da saída de Leandro Daiello da diretoria-geral da PF após a Olimpíada do Rio em agosto, a pedido do delegado. O caso é tratado sigilosamente para evitar especulações. Para Michel Temer, a designação de Érika Mialik Marena é um avanço político e na gestão. Uma vez com a apucaranense na DG da PF, o presidente da República a inclui no rol de mulheres no alto escalão, e ganha a confiança de variados setores, indicando que não quer interferir nas investigações.

A DELEGADA
Representando as mulheres na área de Segurança Pública, Erika foi homenageada em março deste ano. Ela é representante da Associação dos Delegados da Polícia Federal no Paraná, e atua desde 2003 em São Paulo e Curitiba, nas áreas de crimes financeiros e lavagem de dinheiro.  Em Curitiba, esteve à frente da Delefin - Delegacia de Combate a Crimes Financeiros e Desvio de Recursos Públicos. Hoje, integra o Grupo de Trabalho da Operação Lava Jato. A frente de um grupo de quatro delegados, é responsável legal pela condução da investigação. Antes de ir para a Polícia Federal, Érika trabalhou no Banco Central (BC).

PAIS RESIDEM EM APUCARANA
Os pais da delegada Érika Mialik Marena, Olga Mialik,  que durante muitos anos trabalhou no Instituto de Previdência do Estado (IPE) e atualmente é costureira, e o historiador, museólogo e palestrante Ninger Marena, ainda residem em Apucarana. Ela é neta do falecido pastor Mialik, da Igreja Assembleia de Deus. A delegada ainda não se manifestou sobre a sua possível indicação para ser a nova diretora-geral da PF. Entre as operações que comandou está a "Satiagraha", no ano de 2008, quando substituiu o delegado Protógenes Queiroz. Na oportunidade o banqueiro Daniel Dantas foi preso na operação sob suspeita de crime contra o sistema financeiro.

continua após publicidade