Apucarana

Funcionários dos Correios de Apucarana não têm previsão para encerrar a greve

Da Redação ·

Funcionários dos Correios de Apucarana, que iniciaram uma greve municipal na segunda-feira (02), prosseguem com a paralisação nessa sexta-feira (06). Os grevistas que reivindicam por mais contratações permanecem com a medida até que haja uma resposta favorável para a categoria.

continua após publicidade

Foto: José Luiz Mendes

De acordo com diretor do Sindicato dos trabalhadores dos Correios, Fabiano Batista Silva, a medida dever se estender enquanto não houver um posicionamento da empresa a respeito das reivindicações

continua após publicidade

A greve é motivada pela defasagem de funcionários, já que os mesmos afirmam estar sobrecarregados em suas funções. O principal pedido é que haja a contratação de pelo menos oito carteiros, número necessário para completar o quadro. ''Faz uns seis meses, que vem saindo trabalhadores, e hoje temos um deficit de pelo menos oito'', afirma o diretor do Sindicato.

Na manhã dessa sexta-feira, os funcionários se reuniram em frente a sede dos Correios, para definirem como será o posicionamento dos grevistas para os próximos dias. 

''Teve uma reunião ontem a tarde, apresentaram uma proposta muito ruim. Mas nós estávamos motivados a voltar ao trabalho hoje, por consideração a população, mas acabou de chegar seis trabalhadores de outros locais, e isso deixou o pessoal revoltado, porque durante os dias normais não vem nenhum apoio de fora, e agora que a gente tá de greve conseguiram gente de fora para trabalhar'', pontua o diretor, definindo que enquanto não houver um acordo, a greve continua.

continua após publicidade

Por telefone, o relações de imprensa dos Correios do Paraná, Mario Pain, disse que o corpo técnico da região está estudando as possibilidades para atender a reivindicação, mas que por ora não existe saída, já que para a efetivação de mais funcionários, seria necessário abrir um concurso público para contratação, o que no momento não está no cronograma dos Correios. 

Embora isso, Pain afirma que mesmo havendo falta de funcionários, não há sobrecarga de funções. ''A ausência existe, mas está sendo administrada sem exigir sobrecarga, eles não trabalham mais do que o destinado''.

Ele finaliza ainda dizendo que o apoio de outras bases dos Correios à sede de Apucarana é temporária, e que foi necessária para suprir a defasagem por conta da greve, mas que não há a possibilidade mantê-los nessas condições. ''A prioridade é atender os clientes, por isso trouxemos pessoal de fora, mas é uma medida momentânea.