Apucarana

AMS investiga mais duas mortes por suspeita de gripe A em Apucarana

Da Redação ·
A rede de unidades básicas de saúde de Apucarana está abastecida com a vacina contra a gripe H1N1; vacinação começou na segunda-feira (25) - Foto: José Luiz Mendes
fonte: Agências/Imagem ilustrativa
A rede de unidades básicas de saúde de Apucarana está abastecida com a vacina contra a gripe H1N1; vacinação começou na segunda-feira (25) - Foto: José Luiz Mendes

A Autarquia Municipal de Saúde (AMS) de Apucarana confirmou no início da tarde desta quinta-feira (28) que mais duas mortes por suspeita de gripe A estão sendo investigadas. A AMS informou que, no total, apura cinco óbitos por suspeita de H1N1 no município. 

continua após publicidade

Os pacientes são um jovem de 25 anos que estava internado no Hospital da Providência e faleceu na quarta-feira (27) e uma criança de 6 anos que morreu no início desta semana. Segundo a AMS, os registros médicos, contudo, mostram que as duas pessoas tinham problemas de saúde que podem ter contribuído para os óbitos.

Conforme informações da AMS, histórico do jovem de 25 anos revela que ele era paciente renal e com aplasia medular, doença caracterizada pela alteração no funcionamento da medula óssea, tendo como sintomas anemia, manchas escuras na pele ou mucosas, devido à diminuição do número de plaquetas e infecções freqüentes pela diminuição das defesas do organismo. Já a criança apresentava problemas de saúde desde o nascimento e era atendida na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Apucarana (Apae). Quando do óbito, apresentava quadro de broncopneumonia.

continua após publicidade

Amostras para exame foram coletadas nos dois pacientes. Os materiais foram encaminhados para o Laboratório Central do Estado (Lacen), em Curitiba. 

OUTROS CASOS - Em 18 de abril a AMS confirmou que duas mortes (um homem de 48 anos e uma mulher de 33) estavam sendo investigadas. Os dois pacientes estavam internados no Hospital da Providência, em Apucarana. A mulher faleceu em 11/04 e o homem morreu em 17/04. Outra mulher de 57 anos apresentou os sintomas da doença, recebeu a medicação recomendada e como não apresentou melhora no quadro, foi internada no Hospital da Providência, onde acabou falecendo.

O diretor presidente da AMS, Roberto Kaneta, informou nesta quinta (28) que um total de cinco mortes estão sendo investigadas no município. Ele disse que ainda não recebeu os resultados dos exames já encaminhados e que o prazo para conclusão é de 15 dias. Apenas o laudo do Lacen pode confirmar a presença do vírus H1N1.