Apucarana

Padrasto confessa que jogou bebê no chão porque ele estava chorando

Da Redação ·
Delegado José Aparecido Jacovós  disse que sequestro não passou de simulação. Foto: Tribuna do Norte
Delegado José Aparecido Jacovós disse que sequestro não passou de simulação. Foto: Tribuna do Norte

A Polícia Civil de Apucarana, no norte do Paraná, divulgou na tarde desta terça-feira (12), novas informações sobre o caso do padrasto preso após torturar uma menina de 1 ano, no município de Cambira. Ordilei Cristiano de Sá, 34 anos, teria confessado à polícia que jogou a criança no chão porque ela estava chorando de fome. O homem foi detido na última sexta-feira (8), por policiais da 17ª Subdivisão Policial (SDP) e encaminhado ao Minipresídio de Apucarana. 

continua após publicidade

Ordilei Cristiano de Sá, 34 anos, teria confessado à polícia que jogou a criança no chão porque ela estava chorando de fome - Foto: José Luiz Mendes

Segundo a polícia, as investigações começaram após a entrada da criança no Hospital da Providência Materno Infantil de Apucarana, na quinta-feira (07). De acordo com boletim médico, o paciente apresentava quadro grave, com fraturas nas pernas, braços e costela. 

continua após publicidade

Investigadores foram até a casa dos responsáveis, localizada na Zona Rural de Cambira, e localizaram uma carabina calibre 38 e uma espingarda calibre 28, com 25 munições intactas e 16 munições deflagradas. 

O agressor é casado com a tia da criança, que tem a guarda da menina. De acordo com a polícia, Ordilei confessou que na data de em 03/04, após voltar de uma festa, jogou a criança no chão por estar chorando de fome. Ele foi autuado pelos crimes de tortura e posse ilegal de arma de fogo. 

De acordo com o delegado-chefe da 17ª SDP, Ordilei Cristiano de Sá tem passagens por assalto, abuso de menor e agressão. 

O Hospital da Providência não repassou informações sobre o quadro de saúde da criança.