Apucarana

Denarc prende 5 e desbarata quadrilha que traficava crack

Da Redação ·

Policiais civis da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), do núcleo de Londrina (norte do Paraná), e da 17ª Subdivisão Policial (SDP) prenderam, no final da tarde de terça-feira (5), em Apucarana, cinco pessoas suspeitas de envolvimento em formação de quadrilha com a finalidade de traficar drogas, preferencialmente o crack, em cidades da região.

Os suspeitos foram detidos em imóvel situado na Rua Catuaí, no Jardim Catuaí, zona norte de Apucarana. Foram presos Haiorane da Cruz Ferreira, 21, Vicente Borges de Gouveia Neto, 24, Jéssica Aparecida Silva, 25, Alessandra Maria da Silva, 27, e Amador Mariano da Silva, 36 anos. Com eles os policiais civis apreenderam dois quilos de crack, que poderiam ser fracionados em cerca de quatro mil pedras da droga. Cada pedra do entorpecente é vendida no varejo a R$ 10, e a apreensão do tóxico "deu um prejuízo" de R$ 40 mil aos traficantes.

A operação foi coordenada pelo delegado da Denarc, Lanevilton Theodoro Moreira, e pelo delegado-chefe da 17ª SDP, José Aparecido Jacovós. De acordo com o delegado Lanevilton, depois de vários meses de investigação, a polícia apurou que o esquema de microcélulas de tráfico de entorpecentes era comandado por alguns detentos da Penitenciária Estadual de Londrina (PEL) e por Amador Mariano da Silva, que reside na zona norte de Apucarana.  

Após solicitação feita pela Denarc à 1ª Vara Criminal de Apucarana, o Judiciário expediu diversos mandados de prisão, inclusive contra pessoas que já estão encarceradas na PEL, e outros dois de busca e apreensão. "Entre os presos estão duas mulheres autuadas em flagrante por tráfico de drogas e associação com a finalidade de comercializar entorpecentes. As cinco pessoas presas foram levadas à 17ª SDP e em seguida conduzidas ao minipresídio de Apucarana.  

Chefe da organização
"Apuramos que o Amador Mariano da Silva seria o chefe da organização criminosa e um dos principais responsáveis por comandar o tráfico de drogas em Apucarana e região", afirmou o delegado Lanevilton.

continua após publicidade