Apucarana

Pontes arrastadas pela chuva são recuperadas em Apucarana

Da Redação ·
Prefeitura recuperou sete pontes rurais do município (Foto: Divulgação/Prefeitura)
Prefeitura recuperou sete pontes rurais do município (Foto: Divulgação/Prefeitura)

A Secretaria Municipal de Obras  de Apucarana concluiu a reconstrução de sete pontes que haviam sido levadas pela força das águas, com o transbordamento de rios e córregos, no começo deste ano. O excesso de chuvas registradas no período de 9 a 12 janeiro gerou prejuízo estimado em cerca de R$ 10 milhões ao município. A prefeitura informou que os estragos estão exigindo gastos extras.

continua após publicidade

O secretário Jaime Gonçalves informa que a equipe própria de manutenção de estradas e pontes, da Prefeitura de Apucarana, trabalhou em vários pontos da zona rural do município, para restabelecer as passagens que estavam interrompidas. 

“Foram gastos cerca de R$ 60 mil em materiais, além da mão de obra, para reconstruir estas sete pontes”, relatou. Na ponte do Rio Bom, na divisa de Apucarana com Rio Bom, foram necessários 170 caminhões de terra para aterrar uma cabeceira e laterais. 

continua após publicidade

As demais pontes recuperadas foram as seguintes: ponte na Estrada do Cunha (em parceria com Arapongas); Estrada da Taúva (Rio Pirapó); Estrada do Brezolin (Barreiro); Ponte do Taquarão (Distrito de São Pedro do Taquara); Estrada do Banco da Terra (tubulação); e Estrada do Barro Preto (tubulação). 

A prefeitura também está trabalhando na reconstrução da ponte sobre o Rio Abutre, na Estrada do KM 17, na região de Caixa de São Pedro. Ainda continuam danificadas as pontes sobre o Rio Pirapó, na Estrada do Norfinho (divisa com Arapongas); e a ponte da Estrada da Figueirinha (Rio Jacucaca), na divisa com califórnia.  

Nestes dois casos são necessárias obras em alvenaria e que envolvem o Governo do estado. Na época, a precipitação chegou a quase 400 milímetros e, além de arrastar diversas pontes e deixar 100 mil apucaranenses sem água, também causou muitos problemas à malha viária da cidade, que continua sendo recuperada. 

continua após publicidade

São danos que necessitam de altos valores financeiros para serem sanados. Nossa malha viária, de cerca de 600 quilômetros, é em grande parte antiga. E temos ainda 500 quilômetros de estradas rurais e 76 pontes, que sempre exigem manutenção”, avalia o prefeito Beto Preto. 

Ele lembrou ainda que, naquela ocasião, optou por cancelar a festa de aniversário da cidade e economizou cerca de R$ 300 mil, que já foram investidos em tapa-buracos, recape asfáltico e reconstrução de pontes.