Apucarana

Cães policiais têm rotina de treino ‘puxada’ no 10º BPM

Da Redação ·
Foto: Delair Garcia
Foto: Delair Garcia

Thor, Spy, Taz, Aço, Nino e Diesel são os cães policiais do Canil do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Apucarana. Em operação desde dezembro do ano passado, os animais vieram para facilitar a rotina policial, além de aliviar os momentos de tensão. 

continua após publicidade

Foto: Delair Garcia

continua após publicidade

Ontem à tarde, a unidade fez uma demonstração do treinamento diário dos cães, que dura cerca de duas horas. As atividades envolvem imobilização de suspeito, abordagem, reconhecimento de drogas, através do faro, e localização de pessoas em área de mata. Todo o aprendizado é baseado no método ordem versus recompensa.  

O tenente Thiago Mendes dos Santos, responsável pelo Canil do 10º BPM, e também condutor do pastor belga Taz, analisa que com a chegada dos cães a localização de entorpecentes ficou mais fácil. Recentemente, Thor localizou num ônibus de passageiros uma bagagem que continha 5 Kg de drogas. “Os cães têm contribuído bastante. Com o faro sensível, a localização é exata, o que torna o trabalho da polícia mais ágil”, avalia.  

Thiago comenta ainda que os cães são treinados também para participar do patrulhamento e auxiliam durante as abordagens de suspeitos. Os animais também passaram a ser empregados nas operações bate-grade do minipresídio de Apucarana. “A última, por exemplo, que usamos o apoio do canil, conseguimos maior colaboração dos presos”, diz.  

continua após publicidade

Outro ponto ressaltado pelo oficial é a aproximação da comunidade com a corporação. “Já realizamos algumas atividades com os escoteiros aqui, mas temos outras ações programadas”, assinala. Na agenda estão visitas ao Lar São Vicente de Paulo e Associação dos Pais dos Amigos dos Excepcionais (Apae), de Apucarana.  

Thiago explica ainda que um policial pode treinar no máximo dois cachorros. “Qualquer cão pode ser um cão policial, mas algumas raças apresentam mais habilidades como a golden retriever (Thor), rottweiler (Spy) e pastor belga malinois (Taz, Aço, Nino e Diesel)”, comenta. 

Segundo o oficial, a construção do canil deve ser concluída até o final deste ano. São 276m² de área construída e somente após a entrega do espaço que novos policiais e cães serão treinados para integrar o canil.  ESTRESSE Com a presença do canil, a rotina dos condutores, como são chamados os policiais que tem a missão de treinar os cães, ganharam uma dose extra de alegria. Para o soldado Tiago Augusto de França, condutor do Thor, cão mais antigo do canil do 10º BPM, trabalhar com o animal é gratificante.  

continua após publicidade

Thor, que chegou à casa de Augusto com 45 dias, obedece a cada comando do dono. “Fiz alguns testes e ele demonstrou muita habilidade. Além de ser um cão farejador, ele aproxima as pessoas”, diz.  

Thor, desde dezembro, participou de três apreensões de drogas. “Trabalhar com o Thor é uma terapia”, garante Augusto. O condutor do cão lembra também que é preciso gostar de animais e ter muita paciência para adestrá-los de maneira correta.