Apucarana

Reajuste salarial para vereadores causa revolta no Norte do Paraná

.

Sessão de ontem foi marcada por protestos (TNOnline)
Sessão de ontem foi marcada por protestos (TNOnline)

Dezenas de pessoas protestaram ontem (01/03) durante sessão na Câmara Municipal de Apucarana. O manifesto ocorreu após a informação de que seria votado o subsídio da próxima legislatura. Outro motivo que levou os manifestantes ao Legislativo foi o reajuste de 11,27% aprovado na semana passada aos vereadores.

Com isso, os salários referentes ao mês de fevereiro já serão pagos com o acréscimo. Os salários dos vereadores passaram de R$ 7.991, 71 para R$ 8.892, 38. Já o salário do presidente da Câmara, José Airton Deco de Araújo, passou de R$ 11.987, 58 para R$ 13.338, 59. A votação ocorreu durante sessão extraordinária, o que também incomodou a população.

O presidente da Casa alegou que o reajuste corresponde à correção da inflação do período. “Este valor corresponde somente à inflação do período. Nós não reajustamos os nossos salários. Este foi um acordo entre o Sindicato dos Servidores Municipais e a Prefeitura”, explica.

Sobre a presença da população na Câmara, Deco avalia que é extremamente saudável. “A população tem que ser ativa. O que não pode ocorrer, mas infelizmente acontece, é o desrespeito com os vereadores, que acabam xingados. Os vereadores, no caso de ontem, em nenhum momento atacou ninguém”, assinala.

Diante da insatisfação popular, Deco decidiu cancelar a sessão marcada para hoje (02/03), que discutiria o subsídio da próxima legislatura. O assunto deve voltar à pauta em abril. “Nós vamos discutir o subsídio da próxima legislatura até meados de abril. A proposta será de manter os valores atuais, mas cada vereador terá a oportunidade de comentar o projeto”, ressaltou.

Os manifestantes alegaram que o reajuste aprovado aos vereadores não era obrigatório. Além disso, eles voltaram a propor o salário de professor municipal, hoje de R$ 2,1 mil, para o cargo de vereador.

O projeto de iniciativa popular, encabeçado pelo movimento “Cristãos pelo Brasil”, que não estava presente ontem na Câmara, vai começar a recolher assinaturas neste sábado na Praça Rui Barbosa em Apucarana.