Apucarana

​Estudantes do Colégio Polivalente de Apucarana visitam índios

Da Redação ·
​Estudantes do Colégio Polivalente de Apucarana visitam índios: levantamento antropológico - Fotos: professor Daniel Mota
​Estudantes do Colégio Polivalente de Apucarana visitam índios: levantamento antropológico - Fotos: professor Daniel Mota

Um grupo de 80 estudantes do Colégio Estadual Polivalente, de Apucarana, acompanhado de professores, esteve no sábado (14/11) na Reserva Indígena Caingangue Apucaraninha, localizada no Município de Tamarana.

continua após publicidade

Foto: professor Daniel Mota


A visita fez parte de um projeto multidisciplinar desenvolvido na escola e que realizou um levantamento antropológico da cultura dos caingangues. Além de interagir com os índios, os alunos plantaram mudas de árvores na aldeia e apresentaram uma dança antropológica.

continua após publicidade

Foto: professor Daniel Mota


O professor, Daniel Mota, coordenador do projeto, afirma que anteriormente os alunos já haviam conhecido alguns índios que, com frequência, vêm a Apucarana e permanecem na região do Parque Japira. Além de valorizar a cultura dos caingangues, o projeto também buscou compreender a situação de mendicância a que mães e crianças da aldeia são submetidas em cidades próximas como Londrina e Apucarana.  

continua após publicidade

Foto: professor Daniel Mota

“Uma das primeiras necessidades do projeto foi mostrar, para os alunos e a comunidade, quem são eles e porque muitas vezes pedem, visando minimizar a hostilidade”, frisa Mota. O professor destaca que os caingangues possuem uma cultura extremamente rica e que a reserva de Tamarana tem quatro aldeias.

continua após publicidade

Foto: professor Daniel Mota


“Fomos em dois ônibus, reunindo cerca de 80 alunos, e visitamos a aldeia Água Branca”, esclarece. O professor afirma ainda que outra necessidade levantada pelo projeto foi o fornecimento de mudas.

Foto: professor Daniel Mota

“Conseguimos 500 mudas frutíferas que foram viabilizadas pela Prefeitura de Apucarana e os alunos conseguiram ainda outras 400 mudas nativas para sombreamento na aldeia. Parte delas foi plantada durante a visita e o restante, distribuído”, completa Mota.