Mais lidas
Apucarana

Greve dos caminhoneiros cresce na região de Apucarana

.

Paralisação dos caminhoneiros iniciada no final da madrugada desta segunda-feira (9), ganhou adesões ao logo desta tarde. Em Apucarana, nos quilômetros 245 e 252 da BR-376, os manifestantes fazem o bloqueio total da pista e impedem o tráfego de carretas e caminhões carregados. Em Arapongas, na BR-369, também há bloqueio.

Conforme a PRF, os carros estão sendo liberados, mas precisam passar pelo acostamento para seguir viagem. "Fica a orientação para que o motorista, mesmo liberado, passe com muito cuidado pelos pontos e evite, assim, qualquer tipo de desentendimento ou confronto com os manifestantes", alertou o inspetor Sérgio Oliveira, da PRF. 

Ele assegurou, ainda, que os agentes federais seguem monitorando e acompanhando as manifestações dos caminhoneiros, com o objetivo de evitar que mais pontos das rodovias sejam bloqueados.  A polícia registra outros pontos de bloqueio nos quilômetros 11 (Paranavaí) e 133 (Nova Esperança) da BR-376, onde caminhões também estão sendo parados pelos manifestantes. 

Já na BR-277, no km 667, cerca de 200 pessoas fecham os dois sentidos da rodovia. Os caminhoneiros deixam passar apenas veículos de emergência. Segundo a PRF, o movimento tem apoio de empresários da região. Na mesma rodovia, mas na região de Guarapuava, centro do estado, a categoria realiza a interdição parcial, causando filas e lentidão. 

Os caminhoneiros também bloqueiam rodovias estaduais durante os protestos. No Paraná, conforme informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), há bloqueio de caminhões na PR-317, em Maringá, e na PR-280, em Clevelândia, na região de Pato Branco. Uma rodovia estadual de Ibaiti, no Norte Pioneiro, também estaria sendo bloqueada, segundo a polícia. 

Bloqueios em vários outros estados são feitos por caminhoneiros nesta segunda-feira em todo o Brasil.



Leia mais na edição de terça-feira (10) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber