Apucarana

Procura por cursos técnicos aumenta até 48% em Apucarana

Da Redação ·

Com a crise econômica, o mercado de trabalho do país não passa por um bom momento. Só em agosto foram 86,5 mil vagas de emprego encerradas no Brasil. Por isso, muitas pessoas estão buscando qualificação e atualização profissional como forma de se manterem ou se recolocarem no mercado. As escolas e centros profissionalizantes têm registrado aumento de até 48% na procura por cursos.A busca pelo próprio negócio é o objetivo de muitos que se encontram nessa situação. Maria de Lurdes Pereira é uma dessas pessoas. 

continua após publicidade

Foto: José Luiz Mendes

continua após publicidade


A costureira apucaranense ficou desempregada há alguns meses e agora decidiu partir para uma nova a área e apostar no mercado de serviços. “Estou fazendo o curso de cabeleireira e estou adorando. Já estou com planos de abrir meu próprio salão de beleza”, revela.Já Tatiana Mendonça está em busca do primeiro emprego. Ela afirma que pensou em buscar algo no comércio, mas o curso profissionalizante pareceu uma opção melhor. “Acredito que, depois de terminar o curso, poderei encontrar possibilidades melhores e ter uma renda maior”, diz ela.


O curso de cabeleireiro é um dos mais procurados nas instituições de qualificação profissional. Segundo o técnico de Relações com Mercado do Senac de Apucarana, Rodrigo Hirata, na unidade as capacitações mais procurados são aquelas com possibilidade de geração de renda e com maior demanda pelo mercado, sobretudo ligadas às áreas de saúde (técnico em enfermagem), beleza (cabeleireiro, design de sobrancelhas, entre outros) e gastronomia (confeitaria, preparo de salgados etc.).“A procura tem crescido, pois as pessoas enxergam os cursos profissionais como uma oportunidade de recolocação e atualização para o mercado de trabalho.

Em média, de 2014 para 2015, tivemos uma variação positiva de 48%”, avalia ele. Só na instituição onde o técnico trabalha, este ano deve fechar com 90 turmas formadas e cerca de 2,2 mil alunos.Hirata ressalta ainda que a situação atual é propícia para a busca por qualificação. “Em momentos de crise, o desemprego aumenta e consequentemente as dificuldades de recolocação, por haver um maior número de candidatos concorrendo às mesmas vagas. Assim, aqueles que estiverem mais atualizados deverão ser os escolhidos. Por outro lado, sempre haverá a opção do trabalhador se capacitar para abrir o próprio negócio”.

Proprietário de um centro de aprendizagem e qualificação profissional, Celso Henrique Sampaio afirma que a área de beleza está em franco crescimento, o que se reflete no aumento da procura por essa área. “Muita gente tem buscado mudar de área, saindo da zona de conforto. A capacitação e atualização profissional precisam ser feitas sempre, sobretudo em momentos de crise como agora”.