Apucarana

Paranacidade faz visita técnica no “Quarteirão das Artes”

Da Redação ·
Paranacidade faz visita técnica ao prefeito Beto Preto e ao “Quarteirão das Artes” - Foto: Edson Denobi
Paranacidade faz visita técnica ao prefeito Beto Preto e ao “Quarteirão das Artes” - Foto: Edson Denobi

A coordenadora do escritório regional de Londrina do Paranacidade, Mônica Sciarra Mandelli, visitou hoje (15) as obras paralisadas há 8 anos do Quarteirão das Artes e dos Ofícios (antigo Quarteirão da Cultura). A vistoria técnica é o primeiro passo, a partir de entendimentos entre a administração municipal e o governo do estado, para conclusão da construção que propõe transformar os três andares do Cine Teatro Fênix num centro cultural e artístico.

“Quero manifestar que temos total interesse em ser parceiros do município para conclusão desta obra. Vamos tocar esse projeto para frente e estamos no aguardo de adequações do projeto e do orçamento para viabilizar os recursos. Gostaria muito de ajudar a administração municipal concluir esta obra e com certeza vou conseguir”, afirmou Mônica Sciarra, que antes da vistoria técnica na construção inacabada se reuniu com o prefeito Beto Preto em seu gabinete.

continua após publicidade

Foto: Edson Denobi

O secretário de Obras, Herivelto Moreno, informou que sua equipe já está trabalhando na adequação do projeto, que deve ser simplificado para reduzir o custo inicial da obra, orçada em quase R$ 1 milhão. Segundo Moreno, a prefeitura está buscando agora reativar o convênio com Paranacidade – autarquia ligada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, quando a construção foi iniciada. “Vamos agilizar esse processo, realizando as mudanças necessárias no projeto para reativar o convênio. A partir daí o próximo passo é abrir o processo licitatório”, informa Moreno.

OBRA INACABAD
A - A obra, orçada em R$ 910 mil, para a reforma de 1.580 metros quadrados do prédio, não foi concluída pela empreiteira Efer Construções Ltda. Os serviços foram interrompidos ainda na gestão do ex-prefeito Valter Aparecido Pegorer. O projeto arquitetônico original previa o pavimento térreo com hall, centro cultural e acessos, livraria, local para informações ao visitante, elevador, lavabo e banheiro.

O primeiro pavimento deveria contar com uma biblioteca, arquivo, guarda-volume, escritório, café, balcão de atendimento, banheiros e bebedouros. O segundo, de acordo com o projeto, teria salas multiusos e exposições temporárias, banheiros, e área de circulação. O terceiro pavimento abrigaria o museu com salão de exposições, administração, almoxarifado, museu do cinema e sanitários.