Apucarana

Câmara tenta aprovar hoje novo número de vereadores

Da Redação ·
 Vereadores de Apucarana voltam a se reunir hoje para discutir número de cadeiras | Foto: Sérgio Rodrigo
Vereadores de Apucarana voltam a se reunir hoje para discutir número de cadeiras | Foto: Sérgio Rodrigo

A Câmara de Vereadores de Apucarana realiza hoje (18), às 14 horas, a primeira sessão extraordinária para votação de um novo projeto de emenda à Lei Orgânica do Município que reduz de 19 para 15 o número de cadeiras para a próxima Legislatura. A proposta alternativa surgiu do entendimento de um grupo de vereadores, após o tumulto registrado na sessão da última terça-feira, quando foi rejeitado o projeto de iniciativa popular que propunha 11 vagas, enquanto o que estabelecia 16 foi retirado de pauta através de pedido de vistas feito pelo vereador Mauro Bertoli (PTB). 

Naquela oportunidade, manifestantes contra aumento de vagas no Legislativo hostilizaram verbalmente vereadores que votaram contra o projeto de iniciativa popular e gritavam “queremos 11, queremos 11”.O novo projeto conta a princípio com assinaturas de sete vereadores, o suficiente para ir a plenário (são necessárias no mínimo quatro). Segundo o presidente da Câmara, José Airton Deco de Araújo (PR), já assinaram a proposta ele próprio e os vereadores Luiz Cordeiro Magalhães (PT), Gilberto Cordeiro de Lima (PMN), Paulo César Farias (DEM), Antônio Ananias (PSDB), José Eduardo Antoniassi (PSDB) e Aurita Bertoli (PT).

Ainda pode assinar hoje Alcides Ramos Júnior (DEM), totalizando oito assinaturas, o que daria também oito votos necessários para ser aprovado. Disseram que não vão assinar a proposta os vereadores Luciano Molina (PMDB), Telma Reis (PMDB) e Mauro Bertoli (PTB).“Eu quero acreditar que este novo projeto seja aprovado”, disse ontem o presidente do Legislativo, vereador Deco, salientando que a nova proposta é uma alternativa para se colocar fim a esta discussão.

O vereador Mauro Bertoli reafirmou ontem que, quando pediu vistas ao projeto das 16 cadeiras, assim o fez no sentido de se buscar mais uma discussão sobre o assunto. Embora sempre tenha defendido 19 vagas nas discussões anteriores, ele explicou que houve muita divisão entre os vereadores. Além disso, conforme assinala, a população, nas ruas e através do projeto de iniciativa popular com mais de 7 mil assinaturas, estava pedindo que permanecessem as 11 cadeiras atuais. “Por isso, eu mudei de ideia e votei com a sociedade”, justifica.

POSSIBILIDADE DE EMENDA - Ele não descarta a possibilidade de apresentar uma emenda a este novo projeto reduzindo de 15 para 11. “Eu estou estudando isso com a minha própria assessoria jurídica”, informou ele, garantindo que não assinará o novo projeto e não votará a favor.O vereador Gilberto Lima, que sempre defendeu 19 vagas, agora aderiu à proposta de 15, como já havia feito com relação ao projeto dos 16. Segundo ele, depois de tudo o que aconteceu na sessão de terça-feira e agora se buscou um projeto de consenso, ele prefere ficar com o consenso.

Gilberto lembra que, na sessão de terça-feira, quando chegou sua vez de votar, o projeto de iniciativa popular pedindo 11 vagas já estava rejeitado. “Eu até poderia votar favorável ao projeto e sair aplaudido pelo público, mas mantive a minha palavra e votei contra”, destaca.

continua após publicidade