Apucarana

Acia divulga VestVale junto ao governo do estado

Da Redação ·
Acia divulga VestVale junto ao governo do estado
Acia divulga VestVale junto ao governo do estado

O secretário de Estado do Planejamento, Sílvio Barros, recebeu, nesta terça-feira (28), representantes da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Apucarana (Acia). O objetivo da reunião foi tratar da VestVale, a Feira das Indústrias do Vestuário de Apucarana e Vale do Ivaí. 

continua após publicidade

Os representantes solicitaram o apoio do governo do Estado para o evento, cuja primeira edição ocorrerá no dia 11 de agosto e terá stands de 50 empresas. “Nas primeiras edições, nós esperamos do governo apoio no trabalho de divulgação. Para o futuro, esperamos um apoio com recursos, a fim de permitir a participação do maior número possível de micro e pequenas empresas sem a necessidade de grandes investimentos por parte dos empresários”, afirma o presidente da Acia, Júnior Serea.

Segundo ele, Sílvio Barros mostrou-se receptivo ao projeto. “Ele ligou para a Comunicação do governo e para a Secretaria de Cultura, pedindo suporte para a realização do VestVale. A feira terá a participação de expositores de toda a região. O apoio do governo, portanto, não é para a  ACIA, mas para todas essas cidades representadas na VestVale”, acrescenta Serea. Também participaram da audiência João Mateus Boscarini, que atua como consultor junto à ACIA para a VestVale, e o ex-vereador Aldivino Marques da Cruz Neto, o “Val”, e o chefe de Gabinete de Secretaria de Planejamento, Cilênio Júnior. O grupo também esteve na Secretaria de Desenvolvimento Urbano, onde foi recebido pelo chefe de Gabinete, João Ortega.

continua após publicidade

A VestVale será realizada a cada quinze dias no Tropical Shop, que será o espaço de exposição permanente em Apucarana. O objetivo é dar oportunidade para micro e pequenas empresas, da indústria de confecção de vestuário da região, mostrarem seus produtos para potenciais compradores. O evento irá beneficiar pequenos empresários que não têm condições de viajar e expor seus produtos em outros lugares. A ideia é criar um polo de confecções permanente como ocorre, por exemplo, em Brusque (SC).