Apucarana

Dezenove pessoas foram presas por não pagar pensão em Apucarana

Da Redação ·
Segundo o delegado José Aparecido Jacovós, a justiça têm sido prejudicada pela situação do IML.
Segundo o delegado José Aparecido Jacovós, a justiça têm sido prejudicada pela situação do IML.

Polícia Civil de Apucarana cumpriu ontem 5 mandados de prisão por não pagamento de pensão alimentícia. Somente neste ano, já foram 19 prisões, ao todo, pelo mesmo motivo.

continua após publicidade

Segundo o delegado José Aparecido Jacovós, a justiça de Apucarana em parceria com a Polícia Civil tem trabalhado firme para coibir esse tipo de situação.  “O número de mandados de prisão cumpridos na cidade é muito relevante se comparado a nível nacional. 

No ano passado, por exemplo, foram cerca de 400 prisões efetuadas no país por não pagamento de pensão alimentícia. Esse ano cumprimos quase 5% desse número somente em Apucarana”, ressalta Jacovós.  

continua após publicidade

Ainda de acordo com o delegado, o que chama atenção são os valores das pensões não pagas. Os 5 mandados de prisão cumpridos ontem, por exemplo, somam a quantia de R$37 mil.  “Percebemos que, em 85% dos casos, depois que efetuamos as prisões os autores arrumam dinheiro e pagam o valor devido.

Quer dizer, eles têm condições de pagar, mas não pagam, esperando que a Justiça tome uma medida mais drástica e a polícia os prenda”, observa Jacovós, lembrando que o tempo máximo de detenção nesses casos é de 60 dias.