Apucarana

Cadastramento para o Residencial Barcelona atrai mais de 700 pessoas

Da Redação ·
Cadastramento para o Residencial Barcelona atrai mais de 700 pessoas em Apucarana - Foto: Josias Profeta
Cadastramento para o Residencial Barcelona atrai mais de 700 pessoas em Apucarana - Foto: Josias Profeta

A procura por informações e pelo pré-cadastramento no Jardim Barcelona superou as expectativas. O empreendimento com 590 casas será implantado pela Monolux Construções Civis Ltda, que realizou a primeira reunião com os interessados na segunda-feira à noite. Mais de 700 pessoas foram até o Cine Teatro Fênix e, devido à grande procura, foram realizadas duas sessões de atendimento. O pré-cadastramento continua nesta terça-feira, às 19 horas, no mesmo local, e a expectativa é reuniu mais 500 interessados.

O prefeito de Apucarana, Beto Preto, esteve no local acompanhando as atividades. “As casas estão sendo viabilizadas através da faixa II do Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. Nesta faixa a pessoa se credencia diretamente com a construtora e depois o cadastro passará pela avaliação da Caixa Econômica Federal. É uma oportunidade para as famílias que possuem uma renda um pouco maior, mas que mesmo assim encontram dificuldades para ter a casa própria”, frisa Beto Preto.

De acordo com o prefeito, as casas têm um custo final de R$ 99.990,00 e representam investimentos de cerca de R$ 59 milhões. “É um residencial que vem pronto, com toda a infraestrutura, como luz, água, pavimentação de qualidade e saneamento básico. Além disso, ficarão a 500 metros do da Cidade Industrial da Juruba que será implantada no mesmo terreno.  Com isso, futuramente, os moradores poderão buscar emprego perto da casa onde moram”, assinala Beto Preto, referindo-se à localização do empreendimento, situado em frente ao Núcleo Habitacional Adriano Correia.

continua após publicidade

Cadastramento para o Residencial Barcelona atrai 
mais de 700 pessoas em Apucarana - Foto: Josias Profeta

continua após publicidade



A secretária municipal de Assistência Social, Márcia Regina de Sousa, também esteve no local e reforça que nesta modalidade o município cumpre o papel de mobilizador social. “Convocamos as pessoas cadastradas que não se enquadram na faixa I do Minha Casa, Minha Vida para participarem desta reunião, dando a oportunidades delas acessarem a faixa II do programa, que abrange famílias com renda de R$ 1.601 a R$ 3.600”, esclarece a secretária, salientando que todo o processo do “faixa II” é de responsabilidade da construtora e da Caixa.

Gilberto Braz Palma, diretor da Monolux, afirma que todas as pessoas que procuraram o Cine Teatro Fênix foram atendidas. “Fizemos o pré-cadastro de todos, pegando nome, telefone e renda familiar. Depois, entraremos em contato solicitando para que as pessoas tragam toda a documentação necessária”, explica Braz Palma, informando ainda que dentro de alguns dias a construtora instalará um escritório no centro de Apucarana, visando proporcionar um atendimento individualizado dos interessados e agilizar a comercialização das casas.

De acordo com ele, nesta modalidade o valor da entrada pode ser parcelado em 24 meses junto à construtora, enquanto o restante é financiado pela Caixa Econômica Federal em até 360 meses. “Os valores variam de acordo com critérios do programa, mas supondo o caso da renda familiar de R$ 1.600, o teto do subsídio seria de R$ 17.960 e as prestações mensais seriam decrescentes, partindo de R$ 480 e finalizando em R$ 200”, exemplifica Braz Palma.

As unidades do residencial terão 46 metros de área, construídas em terrenos com dimensão de 180 metros quadrados. “A casa tem dois quartos, sala, cozinha, banheiro e tanque de lavar roupa. As paredes serão de concreto, laje plana, cobertura com telhas de cerâmica, esquadrias de alumínio e as pingadeiras e soleiras em granito”, detalha Braz Palma.