Apucarana

Ebepec assume coleta de lixo em Apucarana

Da Redação ·
A economia de recursos com o novo contrato foi destacada pelo secretário de Gestão Pública, Nikolai Cernescu Júnior - Foto: Sérgio Rodrigo
A economia de recursos com o novo contrato foi destacada pelo secretário de Gestão Pública, Nikolai Cernescu Júnior - Foto: Sérgio Rodrigo

A Ebepec, de Londrina, assume hoje a coleta e transporte de lixo doméstico até o aterro sanitário de Apucarana.

continua após publicidade

A empresa foi contratada por um período de 90 dias após vencer uma licitação em caráter emergencial e oferecer o menor preço, por tonelada, entre as outras três concorrentes.  “A população pode ficar tranquila que esta troca em nada vai alterar a rotina dos serviços prestados atualmente.

A nova empresa vai manter o mesmo itinerário, inclusive teve o cuidado de contratar os funcionários da Sanetran, que conhecem todos os trajetos”, comenta o procurador jurídico do município, Paulo Sérgio Vital. A demanda média mensal da cidade é de 2,5 mil toneladas de resíduos e o contrato prevê que o município, nos próximos três meses, vai investir R$885.750,00 para a coleta de 7,5 mil toneladas.

continua após publicidade

A economia de recursos com o novo contrato foi destacada pelo secretário de Gestão Pública, Nikolai Cernescu Júnior. “Foi um ótimo negócio para a prefeitura. Atualmente estávamos pagando R$125,97 a tonelada, para a Ebepec a remuneração pela mesma quantidade será de R$118,10, o que vai representar uma economia mensal de cerca de R$ 30 mil para os cofres municipais”, pontuou o secretário.

Atualmente o serviço vinha sendo prestado, também em caráter emergencial, pela Sanetran.  O procurador jurídico, Paulo Sérgio Vital, assinala que o novo contrato ameniza o custeio do serviço, uma vez que a manutenção da atividade em Apucarana é deficitária. “É importante que a população saiba que o custo com a manutenção dos serviços é maior do que os recursos que a prefeitura arrecada em forma de taxa específica.

Com o novo contrato estamos conseguindo diminuir um pouco este prejuízo”, explicou.  Segundo Vital, além da coleta do lixo doméstico, os gastos do sistema envolvem ainda o pagamento mensal de R$180 mil à Sanepar a título de operação do aterro sanitário e cerca de R$60 mil mensais a Cocap, que realiza e processa a coleta seletiva.