Apucarana

​Professores decidem nesta terça em assembleia o futuro da greve no Paraná

Da Redação ·
Professores reunidos em Apucarana - Foto: Dirceu Lopes
Professores reunidos em Apucarana - Foto: Dirceu Lopes

Professores do Paraná decidem nesta terça-feira (5) se a paralisação da categoria continua ou não no Estado. A greve completou dez dias. A assembleia será realizada, no estádio da Vila Capanema, e são aguardados servidores de todas as regiões do Estado.  

continua após publicidade

Na parte da manhã, haverá um grande ato em Curitiba contra a violência e pela democracia. A concentração será a partir das 9h na Praça 19 de dezembro com marcha até o Centro Cívico, palco do massacre do governo do Paraná contra os educadores. 

A partir das 14h30, os professores vão se concentrar na Vila Capanema para discutir o fim ou a continuidade da greve. 

continua após publicidade

Completando 10 dias de greve em todo o Paraná, dezenas de professores e diretores de escolas estaduais da região estiveram nesta segunda-feira (041) reunidos no Colégio Nilo Cairo em Apucarana para discutir a situação atual da paralisação assim como negociação com o Governo estadual.

Na última quarta-feira, um grande confronto ocorreu em Curitiba após manifestantes tentarem acompanhar a sessão da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) que votava um projeto que promove mudanças no custeio da ParanaPrevidência, o regime próprio da Previdência Social dos servidores paranaenses.

Os professores são contra o projeto e foram impedidos pela PM de se aproximarem do prédio da Assembleia. Após a assembléia realizada em Apucarana nesta segunda-feira, dois encaminhamentos foram dados, o primeiro relativo a uma planilha de faltas, relativa aos dias de paralisação que por consenso não será encaminhada a Curitiba - fato que poderia prejudicar professores em relação a descontos na folha de pagamento. O segundo se referiu a aguardar apontamentos da assembleia desta terça-feira (05). 

continua após publicidade

Estiveram presentes na reunião de Apucarana professores de vários municípios da região, como Marilândia do Sul, Faxinal, Califórnia, Marumbi, Novo Itacolomi e outros.

Quase um milhão de alunos estão sem aula por causa da paralisação no Paraná.