Apucarana

Professores de Apucarana protestam contra confronto com PM

Da Redação ·

Professores e servidores da rede estadual de ensino estão concentrados, na manhã desta quinta-feira (30), no platô da Praça Rui Barbosa, na área central de Apucarana, para protestar contra o confronto entre a polícia e integrantes da categoria ocorrido ontem em frente à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), em Curitiba.  

continua após publicidade

Os manifestantes estão trajando roupas pretas em alusão aos centenas de feridos e professores de Apucarana que estavam em Curitiba no momento do confronto se alternavam em pronunciamentos acalorados, de repúdio à ação governamental.

Depois, com giz nas mãos e em silêncio, os manifestantes caminharam  da Praça Rui Barbosa até a sede do Núcleo Regional de Educação (NRE), na Rua Munhoz da Rocha, onde jogaram os gizes sobre um pano preto e depois foram  até a Câmara de Vereadores, Prefeitura e ainda à frente do fórum de Apucarana.

continua após publicidade


Após participar das manifestações que aconteceram em Curitiba na tarde de ontem, o professor Marcelo Nunes de Lima, de Apucarana, se reuniu com outros professores na Praça Rui Barbosa na manhã desta quinta. Ele relata que presenciou duas horas de "bombardeio" de gás lacrimogênio acionado pela polícia em frente à Assembleia Legislativa do Paraná. “Não fui atingido, mas passei mal com o gás e fui socorrido pelos meus colegas que estavam próximos”, recorda.

Marcelo explica que alguns manifestantes tentaram jogar pedra para se defender, mas a maioria não deixou por ser uma manifestação, primeiramente, pacífica. “Fomos brutalmente massacradas e acuados pelos policiais. Nunca imaginei passar por uma situação daquela”, reforça.


FERIDOS - A APP Sindicato afirma que há mais de 400 vítimas. Três permanecem internadas e algumas são crianças. Ainda conforme fontes da entidade sindical, pelo menos 14 pessoas estão detidas e impedidas de entrar em contato com advogados e diretores da entidade.  Na manhã de hoje, o Comando Estadual de Greve está reunido, na sede da APP em Curitiba, para decidir sobre a continuação da greve. 


PROJETO APROVADO - Os deputados estaduais votaram e aprovaram, ontem (29), o projeto de lei 252/2015 que trata da revisão do plano de custeio do Regime Próprio de Previdência Social do Estado do Paraná. O projeto foi aprovado com duas emendas e agora segue para sanção do governador Beto Richa.


Leia mais na edição de sexta-feira (1º) da Tribuna do Norte