Apucarana

Menina de 9 anos, de Faxinal, ganha peruca após sofrer grave acidente

Da Redação ·
De acordo com o médico, a menina também passou por várias sessões de câmara hiperbárica -  Foto: Dirceu Lopes
De acordo com o médico, a menina também passou por várias sessões de câmara hiperbárica - Foto: Dirceu Lopes

Seis meses depois de sofrer um acidente grave que resultou na perda do couro cabeludo e parte da pele do rosto, Valéria de Sousa Grucheviski, 9 anos, de Faxinal, está se recuperando. A história dela comoveu outras crianças, que doaram cabelos para confeccionar uma peruca para a menina.

continua após publicidade

Os cabelos infantis foram arrecadados pela Associação de Senhoras de Rotarianos de Jandaia do Sul e o acessório foi entregue Valéria na manhã de ontem, no Hospital da Providência de Apucarana, onde a menina é acompanhada. O acidente aconteceu em outubro do ano passado após o cabelo da garota ficar preso ao cardã - eixo móvel - de um trator em Faxinal. 

A avó de Valéria, Cleusa do Carmo Sousa, conta que foi um impacto muito grande. No entanto, ao ver a garota se recuperando a família está mais confiante.  “Quando soube, ela já estava no hospital e agora vê-la assim, bem, é gratificante”, sublinha Cleusa. Em relação a peruca, a mãe da pequena, Océia de Sousa explica que o que importa é que agora está tudo bem e Valéria está retomando as atividades como estudar e brincar. “Estamos muito felizes com a peruca porque ela disse que vai usar os cabelos novos”, comemora a mãe.

continua após publicidade

A assistência cedida pelo Rotary Clube, segundo Andréia Martinez, presidente da Associação de Senhoras de Rotarianos de Jandaia do Sul, será permanente.

Ou seja, Valéria terá perucas até se tornar adulta. “Conforme ela for crescendo terá a necessidade de aumentar a peruca também. Vamos fazer o melhor por ela”, afirma Andréia.  A associação também é responsável pelo banco de perucas que faz parte do projeto “Elas por Elas”. “Emprestamos os acessórios para mulheres que têm ou tiveram câncer, mas é a primeira vez que produzimos uma peruca infantil”, explica a presidente. 

Logo após sofre o acidente, Valéria teve que passar por várias cirurgias comandadas pelo cirurgião plástico William Cavazana, de Apucarana. Segundo o médico, foram retirados fragmentos das pernas da garota para implantar no crânio, que ficou sem pele por conta do escalpelamento. 

De acordo com o médico, a menina também passou por várias sessões de câmara hiperbárica (modalidade terapêutica que consiste na oferta de oxigênio puro). “Este tratamento ajuda na cicatrização de feridas”, reforça.  A peruca que Valéria irá usar é removível e superficial. William explica que os cabelos de Valéria não voltarão a crescer na região afetada. “Ela perdeu todo o couro cabeludo e a pele que recobre hoje a cabeça foi retirada de outras partes do corpo e aplicadas como enxerto”, explica.