Apucarana

Polícia ouve duas testemunhas sobre duplo homicídio ocorrido em bairro de Apucarana

Da Redação ·
Corpos das vítimas quandfo eram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Apucarana para exame de necropsia - Foto: TNONLINE
Corpos das vítimas quandfo eram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) de Apucarana para exame de necropsia - Foto: TNONLINE

O investigador Cláudio Dias da Silva, o "Pará", superintendente da 17ª Subdivisão Policial (SDP) de Apucarana, confirmou na manhã desta terça-feira (7) que duas testemunhas do duplo homicídio ocorrido no último sábado (4) à noite em Apucarana já prestaram depoimento no inquérito relativo ao caso. Conforme as testemunhas, o crime teria sido cometido por apenas um homem, e não dois, como foi apurado preliminarmente pela Polícia Militar (PM), logo após a consumação do duplo assassinato.

Na oportunidade dois homens foram executados a tiros, às 19h15 de sábado, em imóvel onde funciona uma choperia (SR. Boteco Choperia), no cruzamento da Rua Castro Alves com a Avenida Mato Grosso, no Jardim Ponta Grossa, na zona norte de Apucarana. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) para exame de necropsia. Jonathan Fernando Cazarin, de 23 anos (cinco tiros), e Hilton de Souza Andrade, de 40 anos (seis tiros), acabaram atingidos por diversos projéteis de arma de fogo. Uma equipe do Samu esteve no local e confirmou os óbitos.

UM SÓ ATIRADOR - "A princípio a PM apurou no local do fato que seriam dois os autores do crime, mas as duas testemunhas que já prestaram depoimento relataram na 17ªSDP que apenas um homem executou as duas vítimas com tiros de pistolas. As investigações relativas ao caso prosseguem de forma intensiva, mas ainda não podemos repassar mais detalhes sobre o caso para não atrapalhar a apuração efetiva da situação", disse o superintendente Pará.  Logo após o duplo homicídio, policiais civis isolaram a área, onde havia uma mesa de baralho. A polícia ainda não descarta a hipótese de "suposto acerto de contas". Mas o motivo do duplo homicídio ainda não foi apurado de forma definitiva.

continua após publicidade