Apucarana

Apucarana anuncia criação de nova política industrial

Da Redação ·
Prefeito Beto Preto (PT) durante ato de repasse de áreas industriais - Foto: Divulgação
Prefeito Beto Preto (PT) durante ato de repasse de áreas industriais - Foto: Divulgação

 O Programa de Desenvolvimento Econômico de Apucarana (Prodea), regido pela Lei Municipal nº 009/2002, será extinto em breve, abrindo espaço para uma nova política industrial, ainda em elaboração pela Prefeitura de Apucarana. O anúncio foi feito na quarta-feira (01/04) pelo prefeito Beto Preto (PT) durante ato de repasse de áreas industriais para que mais três empresas locais possam expandir suas atividades. 

Segundo o prefeito, o Prodea já deu sua contribuição mas hoje pode ser classificada como uma legislação obsoleta. “Esta, provavelmente, é a penúltima rodada de empresas atendidas pelo Prodea, imagino que tenhamos apenas mais uma rodada nos próximos dias, uma vez que estamos finalizando a formatação de uma nova política de industrialização, que vai trazer mecanismos modernos para que Apucarana possa verdadeiramente atrair investimentos”, disse Beto. De acordo com ele, as novas regras estão sendo cuidadosamente pensadas e terão como referencial a proposta da Cidade Industrial da Juruba, em fase de estruturação. “Tenho mantido conversas com órgãos federais e estaduais. Nesta semana mesmo estive no Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes), e a Cidade Industrial da Juruba vai ser um referencial de tudo o que pensamos como ideal na área”, exemplificou o prefeito.

O novo parque industrial está sendo instalado em área de 550 mil metros quadrados e contará com 237 lotes, com medidas entre mil a 1,5 mil metros quadrados. Como diferencial, a Cidade Industrial de Apucarana vai contar com um centro administrativo que vai disponibilizar uma estrutura central para atender tanto aos empreendedores, quanto aos trabalhadores. O local vai disponibilizar espaço para instalação de postos de atendimento bancário, lotérica, escritórios de parceiros como UTFPR, Acia, Sebrae, entre outros ligados ao setor industrial.

“Estamos também pensando na instalação de um refeitório comunitário”, comentou Beto. Junto da Cidade Industrial de Apucarana, em um terreno de 30 alqueires que também fazia parte da Fazenda Juruba, está em adiantado estágio de construção o Residencial Fariz Gebrim, com 911 unidades do Programa Minha Casa Minha Vida, do Governo Federal. Repasse de áreas – Juntamente com o anúncio da criação de uma nova política industrial para a cidade, o prefeito assinou contratos de alienação de imóveis industriais do Prodea, com incentivos aprovados pela Câmara de Vereadores, a três empresas locais.

Atuando no setor de alimentação animal, a empresa Ri-Cão Pet Foods Ltda. - ME, que atualmente gera em torno de 112 empregos diretos e indiretos, recebeu área de 2.521,50 m² no Parque Industrial Galan; no setor de fabricação de massas alimentícias, a empresa Casa de Salgados Cícera Godoi Siqueira – ME (Kikoxinha), que atualmente gera 64 empregos diretos e indiretos, recebeu 2.174,86 m² no Parque Industrial Danilo Romano Berté; e no ramo de confecções de bonés e camisetas, a Master CRN Indústria e Comércio Ltda. - ME, que gera cerca de 40 empregos diretos e indiretos, recebeu terreno de 1.226,95 m², no parque do Núcleo Residencial Afonso Camargo.

“Quero agradecer à prefeitura por esta oportunidade, e procuraremos agora ajudar ainda mais a nossa cidade, duplicando e, quem sabe, triplicando o número de funcionários”, disse o empresário Ricardo Maiola, da Ki-Cão. Presenças – Além do prefeito Beto Preto, prestigiaram o evento os secretários Laércio Beani da Costa (Indústria e Comércio), Sérgio Luiz Barroso (Governo), e os vereadores Aurita Bertoli, José Eduardo Antoniassi e Gilberto Cordeiro de Lima.

continua após publicidade