Apucarana

Professores fazem mais uma passeata em Apucarana

Da Redação ·
Professores continuam em greve no Paraná - Foto: Luiz Demétrio
Professores continuam em greve no Paraná - Foto: Luiz Demétrio

Mais de uma centena de professores e servidores da rede estadual de ensino, e até da Fecea, fizeram mais uma manifestação de protesto durante a manhã desta quarta-feira (25) pela área central de Apucarana.

Portando faixas e cartazes e falando palavras de ordem, os educadores passaram em frente à Prefeitura e a Câmara de Vereadores e depois foram até o platô da Praça Rui Barbosa, onde estão concentrados.

continua após publicidade

"Não podemos deixar que a nossa categoria seja aviltada por uma decisão governamental da qual discordamos", afirmou o professor João Luiz Calegari, diretor do Colégio Estadual Nilo Cairo e um dos mais ferrenhos críticos do atual governo do Estado.

continua após publicidade


Passeata de educadores nesta 
quarta-feira em Apucarana
Foto: Luiz Demétrio



REUNIÃO EM CURITIBA
- Representantes do governo do estado e do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato) se reuniram mais uma vez, nesta quarta-feira (25), para tentar pôr fim à greve da categoria, que já dura 17 dias.

O encontro teve início às 10 horas no Palácio Iguaçu, sede do governo em Curitiba. Quase um milhão de alunos da rede estadual estão sem aulas desde o dia 9 de fevereiro, quando o ano letivo deveria ter iniciado nas escolas da rede estadual.

Governo e trabalhadores já se reuniram duas vezes para traçar um acordo, que, apesar de avanços elencados por ambas as partes, ainda não ocorreu. O encontro desta quarta-feira ainda está em andamento.

Antes da terceira reunião, a categoria realizou uma marcha em protesto em Curitiba, que teve a adesão de cerca de 30 mil pessoas.

ACAMPADOS - Desde o início da greve, vários servidores estão acampados no Centro Cívico, onde fica a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) e o Palácio Iguaçu. Eles chegaram a invadir o Legislativo quando deputados tentaram aprovar em apenas um dia um pacote de medidas de austeridade que poderia mexer com benefícios dos servidores. Os projetos foram retirados da pauta da Alep pelo governo para revisão.

O último encontro entre o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato) e representantes do governo Beto Richa (PSDB) durou mais de seis horas, na sexta-feira (20). Dentre os acordos estabelecidos nesta reunião, foi confirmada a contratação de mil professores e pedagogos aprovados em concurso público, mas que não haviam sido chamados.