Apucarana

Apucarana amanhece com filas em postos de combustíveis

Da Redação ·
Longas filas se formaram em postos como o V Brambila, na Avenida Minas Gerais - Foto: TNONLINE
Longas filas se formaram em postos como o V Brambila, na Avenida Minas Gerais - Foto: TNONLINE

 A greve dos caminhoneiros, que ocorre desde o último domingo em vários estados brasileiros e com vários bloqueios de rodovias, inclusive na região, já está provocando desabastecimento de combustível em Apucarana. Nesta terça-feira (24) pela manhã, longas filas se formaram em postos como o V Brambila, na Avenida Minas Gerais, Fama e outros. No Posto Fama (Rua Nagib Daher/Rua Ouro Branco) a fila de veículos para abastecer chegava a mais de 300 metros. Em alguns estabelecimentos, como o Posto Avenida, situado na Avenida Curitiba, na área central da cidade, já não há mais gasolina e álcool (etanol) para abastecimento de veículos.

"Por enquanto ainda temos óleo diesel, mas o etanol e a gasolina acabaram na noite de segunda-feira (23). Não há previsão para reposição do estoque; só após o fim da greve dos caminhoneiros, pois os caminhões-tanque não estão nem saindo das distribuidoras", afirmou Regina Lima de Godoi, que trabalha como caixa no Posto Avenida. Nesta terça-feira a gasolina é vendida nos postos onde ainda há combustíveis a um preço médio de R$ 3,85/3,90 e o etanol subiu de R$ 2,30 para R$ 2,60.

 

continua após publicidade

Alguns postos de Apucarana já não têm
mais gasolina e etanol no estoque
Foto: TNONLINE

continua após publicidade



REGIÂO
 - Sem reposições no estoque, alguns estabelecimentos da região também já estão sem gasolina e etanol, sobretudo em Arapongas, onde praticamente metade dos postos estavam sem combustível ontem. Em Ivaiporã, também houve corrida de consumidores aos estabelecimentos e vários postos já tinham comercializado todos os estoques. 

Na região, o movimento dos caminhoneiros mantém, bloqueios em sete pontos (ver grafo).  Na manhã de hoje, mais de 400 caminhões estavam parados em Apucarana às margens da rodovia BR-376 em um trecho de quase oito quilômetros de extensão. Em Arapongas, a concentração está sendo feita na praça de pedágio. Nos bloqueios, os manifestantes liberam a passagem de motos, ambulâncias, carros e ônibus e apenas caminhões com cargas vivas.