Facebook Img Logo
Mais lidas
Apucarana

Investimento de R$ 132 milhões no campo aumenta competitividade do agricultor

.

O governador Beto Richa deu prioridade nos investimentos em infraestrutura no meio rural para reduzir custos no transporte da produção, melhorar a competitividade do produto paranaense e aumentar a renda do agricultor na propriedade. Nos últimos quatro anos, foram aplicados R$ 132,1milhões em diversos programas e ações que beneficiam os produtores de todo o Estado, com a adequação de estradas rurais, apoio à distribuição de calcário, incentivo à atividade leiteira, produção de café, apoio ao manejo e conservação de solos em microbacias, entre outros. 

A retomada do programa de calcário, por exemplo, beneficiou mais de 28 mil agricultores familiares e foram readequados e melhorados em torno de 6,5 mil quilômetros de estradas rurais, com a aplicação de R$ 60 milhões. Para melhoria das estradas, o Governo do Estado vem apoiando os municípios e os agricultores em três frentes – repasse de recursos para as prefeituras comprarem óleo diesel, insumo necessário para a movimentação das máquinas já existentes; recuperação das estradas com as Patrulhas Rurais, em que o governo disponibiliza um conjunto de máquinas para fazer a adequação de estradas, em parceria com as prefeituras; e a pavimentação com pedras irregulares de trechos escolhidos pelas administrações municipais para facilitar o escoamento de maior volume de mercadorias. 

Para o secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, o investimento na estrada rural, uma das principais reivindicações dos agricultores, foi a forma encontrada para apoiar o produtor no município onde ele mora. “Além de melhorar o tráfego para a produção rural nessas regiões, contribuímos também para o acesso de crianças e adultos a serviços nas áreas da saúde e educação”, disse Ortigara. 

O Governo do Estado disponibilizou 30 Patrulhas Rurais, um conjunto de máquinas pesadas, caminhões e equipamentos que são usados para readequação de estradas rurais, um trabalho integrado com as técnicas de conservação de solos feitas nas propriedades por meio de outros programas da Secretaria da Agricultura, como o de Conservação de Solos e Água em Microbacias e o Plante Seu Futuro, que têm gerado bons resultados na racionalização do uso de agrotóxicos nas lavouras. Também foram investidos R$ 13,8 milhões em 381 municípios para a compra de óleo diesel pelas prefeituras, o que permitiu a melhoria de 2,8 mil quilômetros de estradas rurais. 

PATRULHAS RURAIS – Os trabalhos das Patrulhas Rurais seguem os projetos técnicos elaborados pela Companhia de Desenvolvimento Agropecuário do Paraná (Codapar), que também é responsável por incentivar e apoiar a formação de consórcios intermunicipais para receberem e organizarem o uso dos equipamentos nos municípios, além atuar no treinamento e capacitação dos operadores de máquinas e dos agentes públicos municipais e dos consórcios. As prefeituras se responsabilizam pelo custeio de pessoal. Este trabalho foi iniciado em 2013 e promoveu a adequação de 3.190 quilômetros de estradas rurais, com investimento de R$ 14,7 milhões por meio da Secretaria da Agricultura.

“O desafio do Governo do Estado é ampliar esta ação, chegando a 60 patrulhas em 2015 para atender os consórcios municipais já formados”, explica Ortigara. Destas, nove patrulhas deverão ser compradas com recursos do Banco Mundial, que está financiando o programa Pró-Rural. Ortigara explicou que a iniciativa foi elogiada pelos prefeitos e agricultores porque facilitou o escoamento de todo o tipo de produto que sai das propriedades, como grãos, suínos, madeira, aves, leite, hortaliças, frutas. Uma terceira frente de trabalho para a melhoria das condições das estradas rurais aconteceu em parceria com a Secretaria de Infraestrutura e Logística para pavimentação, com pedras irregulares, de trechos prioritários de estradas nos municípios. Os investimentos voltados à melhoria das estradas rurais somam R$ 107,7 milhões para a adequação de 632 quilômetros, obras que vão beneficiar diretamente 51 mil produtores rurais. MAIS INVESTIMENTOS – A secretaria estadual da Agricultura destinou ainda, desde 2011, R$ 10,5 milhões para programas voltados à olericultura, fruticultura e agroindústria e, também, à infraestrutura em assentamentos e para apoio à realização de feiras de produtores. No programa de Gestão dos Solos e Água em Microbacias, as ações executadas já envolveram a elaboração de 110 planos de ação nas microbacias definidas, que envolvem 7.400 famílias de agricultores familiares. A previsão é investir R$ 8,3 milhões, com financiamento do Banco Mundial, na recuperação das microbacias e transformá-las em referência de desenvolvimento integrado. Para que isso aconteça, na área da microbacia devem se concentrar todos os programas de governo, como manejo e conservação de solos e água, controle de erosão e plantio direto de qualidade, entre outros. A microbacia escolhida deve ser predominante ocupada por agricultores familiares. Outro investimento em infraestrutura – R$ 900 mil do Pró-Rural – foi a compra de 30 veículos para atender ações nos 131 municípios de atuação do programa. Mais R$ 430 mil em recursos do Governo do Estado complementaram aplicações de recursos federais em ações para suporte à cafeicultura, com instalações de unidades demonstrativas para capacitação dos produtores, desenvolvimento da pecuária leiteira e crédito fundiário, entre outros. CALCÁRIO – O Governo do Paraná retomou o programa de calcário, um insumo fundamental para correção do solo, que estava suspenso há nove anos. O Estado produz mais de 4 milhões de toneladas de calcário, volume concentrado na Região Metropolitana de Curitiba e nos Campos Gerais. O calcário é barato na mina, mas chega com preço bem mais alto às propriedades mais distantes. “Por isso, é o primeiro produto no qual o agricultor familiar deixa de investir quando o orçamento é reduzido. O uso do calcário é importante porque corrige a acidez do solo, melhora a fertilidade e torna o solo mais propício ao pleno desenvolvimento da planta”, salientou o secretário. O governador Beto Richa decidiu retomar o programa, liberando R$ 28,4 milhões nos últimos quatro anos, recursos que beneficiaram agricultores familiares em mais de 350 municípios do Paraná. “O programa de calcário deverá ter continuidade de 2015 a 2018 para ajudar o pequeno agricultor a ser mais competitivo, com custo controlado, e apto a praticar uma agricultura comparável às melhores do mundo”, completou Ortigara. PECUÁRIA LEITEIRA – O Paraná vem desenvolvendo a cadeia produtiva de leite do Estado através de projetos que auxiliam agricultores familiares a aumentar a produtividade e a qualidade do leite. Atualmente, o Paraná conta com programas voltados à atividade leiteira em cinco regiões – Arenito Caiuá, Sudoeste, Vale do Iguaçu, Território Paraná Centro e Norte Pioneiro. Nos últimos quatro anos foram aplicados R$ 4,7 milhões em ações para a capacitação de técnicos e produtores e na instalação de Unidades de Referência, em que propriedades selecionadas recebem as novas tecnologias disponíveis na pecuária leiteira e servem como modelo para os produtores que vivem ao seu redor. A capacitação de técnicos é feita tanto para aqueles que pertencem à extensão rural oficial como para os que pertencem aos quadros das prefeituras e dos laticínios.

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

mais notícias

Últimas de Apucarana

×

Newsletter

Conteúdo direto para você:

Quero Receber