Apucarana

Risco à população condena guapuruvu de praça central

Da Redação ·
Risco à população condena guapuruvu de praça central
Risco à população condena guapuruvu de praça central

Com a proximidade da época de temporais, que traz chuva e bastante vento, a Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Apucarana iniciou nesta segunda-feira (01/12) a derrubada do guapuruvu localizado na Praça Interventor Manoel Ribas, mais conhecida como Praça do Redondo, área central da cidade. O procedimento, tido como preventivo, foi aprovado por unanimidade pelo Conselho Municipal de Meio Ambiente Apucarana (COMMAP), durante reunião ordinária realizada na última quinta-feira (27/11), e visa resguardar vidas humanas mediante o iminente risco de queda de seus galhos, que pesam toneladas. “Este tipo de árvore é inadequado para regiões urbanas, mesmo na área rural ela não pode ser plantada em ambiente aberto, pois na mata ela é cercada por outras árvores, que lhe dão sustentação e proteção, sobretudo contra a ação do vento”, explica Éwerton Pires, secretário Municipal de Meio Ambiente. 

continua após publicidade

Ele lembra que a praça possuía outro frondoso guapuruvu, de mais de 40 anos, que teve seu abate autorizado em novembro do ano passado depois que a queda de um galho, pesando cerca de três toneladas e meia, quase ocasionou uma tragédia. “Uma senhora e uma criança estavam sentados sob a árvore quando escutaram estalos. Eles foram avisados por outros transeuntes e instantes depois de saírem aconteceu a queda. Foi por pouco. Quando cheguei ao local encontrei a senhora ainda em choque”, relata Pires, explicando que por características próprias, o galho grosso do guapuruvu possui nós em seu prolongamento, o que contribui para a existência de pontos de necrose. “A beleza cênica não vale o risco de perdermos uma vida. O fluxo de pessoas é bastante grande sob esta árvore, infelizmente o abate é necessário, segundo o próprio entendimento do COMMAP. No dia em que caiu o galho do outro guapuruvu e quase vitimou duas pessoas, o vento ainda era bastante fraco”, lembrou.

Assíduo frequentador da Praça do Redondo, o aposentado Honório Ciriaco Ferreira concordou com o abate. “Melhor agora do que mais adiante acontecer uma tragédia e todos cobrarem a prefeitura por não ter agido antes. Sou antigo na região e conheço muito bem este tipo de árvore. Já derrubei muita mata. Ela pode estar bonita por fora, mas apodrece por dentro”, relatou.

continua após publicidade

Em substituição à árvore abatida a prefeitura vai plantar cinco novas espécies. “Serão árvores adequadas para a área urbana, que vão dar flores e sombra”, finaliza o secretário de Meio Ambiente.