Apucarana

“Quem manda no hospital sou eu”, declara Randas

Da Redação ·
O cardiologista Randas (foto) ainda levanta a hipótese de ter sido ludibriado - Foto: Sérgio Rodrigo
O cardiologista Randas (foto) ainda levanta a hipótese de ter sido ludibriado - Foto: Sérgio Rodrigo

O cardiologista Randas Vilela Batista desautorizou ontem o médico Pascoal Leite de Albuquerque, de Maringá, que na quarta-feira à noite se apresentou a vereadores de Apucarana como novo gestor do Hospital do Coração. Na oportunidade, Albuquerque disse que Randas se manteria apenas na área clínica do estabelecimento. Em entrevista à Tribuna, o cardiologista foi claro e direto: “Quem manda no Hospital do Coração sou eu”.

continua após publicidade

Randas, que centralizou todo o processo de construção do hospital desde 2008 até agora, foi categórico. Ele afirmou não saber da reunião feita entre Albuquerque e os vereadores, e se mostrou surpreso com a situação. “Ele [Albuquerque] não manda nada. Ele seria o gestor do hospital caso a instituição estivesse funcionando, mas todos sabem que este não é o caso. Sou eu quem manda e determina tudo no hospital”, destacou.

O cardiologista ainda levanta a hipótese de ter sido ludibriado. “Está claro [que foi uma manobra contra mim], não acha? Não sei o que está acontecendo, mas parece que os políticos da cidade não querem que o hospital saia. E dos políticos dessa cidade eu posso esperar qualquer coisa”, declarou.

continua após publicidade

Na reunião, realizada na Câmara dos Vereadores, o médico Pascoal de Albuquerque garantiu que Randas Vilela não estava mais na gestão do hospital. Procurado ontem pela Tribuna, Albuquerque ponderou. “O doutor Randas é responsável pela Fundação que trouxe e construiu o hospital em Apucarana. A Fundação criou um instituto que trata da gestão do hospital. Eu sou o responsável por esse instituto”.

Ele ainda destacou que tem total autonomia para se colocar como o gestor do hospital. “Eu estou autorizado a falar pelo hospital sem problema algum. A reunião de ontem (quarta-feira) valeu totalmente e eu saí bastante satisfeito. Serviu para ‘desarmar os espíritos’. Não estou aqui durante todo o tempo em que o hospital está, mas posso apostar que, nos últimos sete anos de imbróglio, nunca houve uma reunião tão produtiva”, ressaltou.

REVERSÃO

continua após publicidade

A Prefeitura de Apucarana publica hoje em Diário Oficial o Decreto Nº 629/2014, que trata da reversão de uma área de mais de 42 mil m² doada à Fundação do Coração Vilela Batista.

A área, anexa ao Hospital do Coração, foi doada para a fundação junto à área da Associação Cultural e Esportiva de Apucarana (Acea), onde hoje se encontra o hospital. A área da prefeitura não foi utilizada e, por conta do não funcionamento da instituição, foi revertida ao município.

Novo gestor responde denúncia na Justiça

continua após publicidade

O médico Pascoal Leite de Albuquerque, que se apresentou como novo gestor do Hospital do Coração, é o pivô de um escândalo envolvendo a prefeitura de Sarandi. A prefeitura daquela cidade firmou um contrato contra o Hospital Santa Fé para a prestação de serviços. Porém, o hospital, que tinha como um dos sócios o médico, não existe há mais de 10 anos. Além disso, Albuquerque não poderia firmar esse tipo de contrato por ser funcionário público do município.

continua após publicidade

O médico Pascoal Leite de Albuquerque - Foto: Sérgio Rodrigo

Em abril deste ano, o Ministério Público (MP) apresentou a denúncia à Justiça. Foram denunciados, além do médico, o prefeito de Sarandi, Carlos Alberto de Paula Junior, o secretário de Saúde, Osvaldo Luiz Alves, e outras duas pessoas.