Apucarana

13º injeta R$ 112 milhões na economia

Da Redação ·
Setores como confecções e calçados (fotos) tem aumento nas vendas com a época do 13º - Foto: Sérgio Rodrigo
Setores como confecções e calçados (fotos) tem aumento nas vendas com a época do 13º - Foto: Sérgio Rodrigo

O pagamento do 13º salário, que deve ser feito integralmente até 20 de dezembro, vai injetar R$ 112 milhões na economia de Apucarana e Arapongas. Os dados são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Em Arapongas, o impacto salarial gerado pelo benefício será de R$ 61,04 milhões, 18% a mais do que em Apucarana, com R$ 51,7 milhões previstos. 

continua após publicidade

Em comparação com o ano passado, o Dieese calcula crescimento de 12% com o pagamento do 13º salário a 36.075 trabalhadores apucaranenses registrados. Enquanto em Arapongas, o departamento aponta aumento de 9,32%, em relação a 2013, com o pagamento extra a 38.178 beneficiados.

Professor do curso de Economia da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), campus Apucarana, Ricardo de Proença Clemente da Silva, analisa que o dinheiro extra deve gerar impacto maior no Produto Interno Bruto (PIB) dos municípios da região. “Vejo que o dinheiro se multiplica dentro da própria região, podendo aumentar até 15 vezes mais”.

continua após publicidade

Os profissionais com carteira assinada devem receber a primeira parcela do 13º salário, que corresponde à metade do valor total da gratificação, até o dia 30 de novembro. A segunda parcela deverá ser paga até o dia 20 de dezembro.

Têm direito ao benefício os trabalhadores com carteira assinada, incluindo os empregados domésticos, além de aposentados e pensionistas do INSS, da União e dos Estados. Contudo, o levantamento regional do Dieese leva em consideração apenas trabalhadores do mercado formal, desconsiderando aposentados e pensionistas.

PARANÁ

continua após publicidade

O pagamento do 13º salário vai gerar impacto de R$ 8,5 bilhões na economia estadual neste ano. O valor é 7,6% maior em comparação ao ano passado, quando o pagamento gerou impacto de R$ 7,9 bilhões. O montante representa 5,4% do total do Brasil, 34,1% da região Sul e 2,83% do PIB Estadual. De acordo com o Dieese, o contingente de beneficiados é de 5,111 milhões de trabalhadores, 2,12% maior do que o registrado em 2013.

Os empregados do mercado formal do Paraná receberão 78,1% do total ou R$ 6,636 bilhões, os beneficiários do INSS ficam com 20,9% (R$ 1,780 bilhão) e os aposentados e pensionistas dos Regimes Próprios do Estado e dos municípios receberão 1% (R$ 82,4 milhões).

O Dieese também estima que 79% do total do benefício a ser pago no Estado virá dos 29 principais municípios do Paraná. Os maiores valores serão para os trabalhadores de Curitiba (R$ 2,712 bilhões), Londrina (R$ 349,633 milhões), Maringá (R$ 302,516 milhões) e São José dos Pinhais (R$ 226,490 milhões).