Apucarana

Radialistas lamentam morte de Pinga Fogo

Da Redação ·
 Radialista Pinga Fogo morreu nesta madrugada em Maringá
fonte: Foto: Arquivo/TN
Radialista Pinga Fogo morreu nesta madrugada em Maringá

Radialistas lamentaram em entrevista ao TNOnline a morte do comunicador Benedito Cláudio de Oliveira, mais conhecido como Pinga Fogo. Ele morreu na madrugada desta terça-feira (13) aos 62 anos. “Era como um pai”, afirmou o radialista Ciro Domingues, da Nova AM, que trabalhou com Pinga Fogo por cerca de 20 anos. Ele relembra algumas das características do "patrão".  “Marcou muito o jeito como ele fazia rádio. A simplicidade e a humildade. Ele era alguém que falava a linguagem do povo”, comenta Domingues. Ele cita que em todas as pesquisas de marcas, muitas vezes, a rádio era lembrada como “Rádio do Pinga Fogo”, o que, para ele, reflete a forma como o comunicador marcou os ouvintes.

continua após publicidade

O radialista Antônio Penharbel Filho, 71, conta que conheceu Pinga Fogo há quase 40 anos “Sempre tive muita admiração por ele. O Pinga Fogo sempre foi um cidadão de princípios com informação, mas voltado para o ser humano. Ele começou como guarda noturno e depois virou radialista, mas continuou a mesma pessoa, sempre dedicado à verdade em primeiro lugar. Acho que por isso chegou onde chegou. Ele era uma pessoa com um coração muito grande”, cita Penharbel, que lamenta a perda como profissional e como colega. O radialista trabalhou vários anos na Nova AM. 

PERFIL

continua após publicidade

Benedito Cláudio de Oliveira, que ficou conhecido como Pinga Fogo, nasceu na cidade de Monte Santo de Minas (MG). Veio para Maringá quando tinha 14 anos, junto com a família. Trabalhou como feirante até os 22 anos, quando casou-se e mudou para Jandaia do Sul. Sem profissão definida, trabalhou na cidade como guarda noturno. Em 1972, iniciou sua trajetória como radialista na Rádio Guairacá, de Mandaguari, atuando como correspondente em Jandaia, divulgando notícias policiais.  

Após trabalhar em várias emissoras, sempre apresentando programas policiais, conseguiu a concessão da antiga Jornal AM (Maringá/PR). Nascia ali a Nova Ingá AM e o Sistema Pinga Fogo de Comunicação, que também compreende a Rádio Nova AM, de Apucarana. Na década de 90, foi convidado a apresentar na TV Maringá (TV Bandeirantes - Maringá/PR) um programa igual ao que fazia no rádio. O programa "Pinga-Fogo na TV" liderou a audiência na televisão de Maringá. Ele se aventurou pela política e foi eleito deputado federal na década de 80.