Apucarana

PM investiga participação de dupla presa em morte de policial militar

Da Redação ·
 Policiais militares seguem em busca de autores de assassinato
fonte: Delair Garcia/Tribuna do Norte
Policiais militares seguem em busca de autores de assassinato

A 30ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) e a Polícia Militar (PM), de Arapongas, prosseguem em diligências para identificar e prender os autores do latrocínio que vitimou o policial militar Nivaldo Ferreira, 44 anos, na última quinta-feira (17).

continua após publicidade

Segundo informações do capitão Vilson Laurentino da Silva, atualizadas neste sábado (19/04), duas pessoas foram presas ainda na quinta-feira, e a PM investiga agora se eles têm relação com o crime. Oficialmente, no entanto, a Polícia Militar não considera as prisões como relacionadas ao assassinato. A dupla foi encontrada com um revólver calibre 38, R$ 6 mil em dinheiro e mais uma porção de maconha. 

Por parte da Polícia Civil, o delegado Walter Helmut conduzirá as investigações, a partir de agora, durante o período de licença do delegado titular da 30ª DRP Osnildo Carneiro Lemes.

continua após publicidade

O CRIME

O policial militar Ferreira, que estava de folga e à paisana, foi morto a tiros durante assalto ocorreu à loja Eletro Popular, onde funciona também uma unidade do Banco Popular, no Jardim Flamingos, em Arapongas. O crime foi praticado por três ladrões. Nilvaldo, que era lotado no Serviço Reservado (P2) do 15º Batalhão de Policia Militar de Rolândia, teria afirmado que era policial no momento em que os bandidos rendiam as vítimas. Outros dois bandidos chegaram ao local e atiraram no PM pelas costas. O policial tinha 44 anos de idade, 25 de corporação. Ele iria iniciar o curso de cabo e residia em Arapongas.