Apucarana

Médicos cubanos chegam à cidade

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Médicos cubanos chegam à cidade
fonte: Foto: Sérgio Rodrigo
Médicos cubanos chegam à cidade

Os doze médicos cubanos, do Programa Mais Médicos, foram recebidos ontem em Apucarana. O grupo foi apresentado em um evento no Salão Nobre da Prefeitura. O município garantiu 13 médicos no programa e o último deve ser encaminhado pelo Ministério da Saúde ao município nos próximos dias. Conforme explicou o Prefeito Beto Preto, a remuneração dos médicos será garantida pelo governo federal. “Não temos medido esforços para cumprir com o compromisso firmado junto ao povo de Apucarana. Em 2012, assumimos a Saúde com 12 mil consultas ao mês.

Agora já são 22 mil consultas ao mês garantidas pelo SUS. Com o Programa Mais Médicos, vamos chegar aos 28 mil e assim estaremos perto de atingirmos nossa meta de gestão, que é de pelo menos 30 mil consultas mês”, detalha o prefeito.

Samuel Emilio Meneses Pena, médico já há 20 anos, conta que está sendo recebido muito bem por aqui e que está feliz em estar na cidade. “Nunca tive dúvidas em vir para o Brasil. Antes daqui estive na Venezuela. Foi uma boa experiência, uma situação bem diferente do que vemos aqui. Lá, havia muitas pessoas lutando por saúde e por um estilo de vida melhor”, ele cita.

A médica Maritza de La Caridad Hernandez Perez conta que já está acostumada a trabalhar longe de casa. Ela, que também esteve na Venezuela antes de vir para o Brasil, acredita que uma das maiores dificuldades é também ficar longe da família. Ela tem duas filhas pequenas em seu país de origem.

O início atendimento dos médicos não é imediato. Eles ainda precisam passar por uma regularização e obter o CRM (Certificação do Conselho Regional de Medicina) e só depois, começaram o trabalho. Segundo o Secretário de Saúde, Roberto Kaneta, o processo deve demorar uma semana para ser concluído. 
De acordo com o secretário Municipal de Saúde, Roberto Kaneta, o prazo da missão dos médicos no Brasil, fixado pelo Programa Mais Médicos, é de, no máximo, três anos.

continua após publicidade