Apucarana

Alcides Ramos Jr. reassume cadeira na Câmara de Apucarana

Da Redação ·
Alcides Ramos Júnior  foi alvo de investigações por parte de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)
fonte:
Alcides Ramos Júnior foi alvo de investigações por parte de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI)

O vereador reeleito e que teve o mandato cassado pela Câmara de Apucarana, Alcides Ramos Júnior (DEM), reassumiu o cargo na sessão de ontem à noite. Ele retorna à função provisoriamente mediante antecipação de tutela concedida pelo juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública da Comarca local, Laércio Franco Júnior, conforme ação movida pela sua defesa.
 

continua após publicidade

confira também

continua após publicidade

Alcides chegou ao Legislativo pouco antes do início da sessão acompanhado de seus advogados Oduwaldo de Souza Calixto e Itamar Wilson de Brito Moraes. Ele foi recepcionado de forma calorosa por um grande número de pessoas, que gritavam seu nome.

Bastante calmo, Alcides concedeu entrevista coletiva à imprensa na chegada. “Volto para esta casa que foi minha, do meu pai e do meu avô”, disse o vereador, lembrando que ambos os pioneiros foram vereadores e presidentes da Câmara.

Alcides Ramos afirmou que volta para a Câmara para continuar o trabalho que vinha desenvolvendo em favor da população de Apucarana como nas legislaturas passadas. Ele reafirmou sua convicção de que não cometeu nada de grave que pudesse levá-lo à condenação. “Posso ter cometido erros, mas não roubei. Só eu sei o que se passou pela minha cabeça e pela minha vida”, explicou Alcides, que responde a processos por supostas irregularidades praticadas quando presidente da Câmara em 2011 e 2012.

continua após publicidade

O vereador prometeu exercer o mandato respeitando todas as determinações da Justiça. E agradeceu aos seus advogados e a todas as pessoas que o apoiaram nos momentos mais difíceis.

Alcides Ramos estava com o mandato cassado desde o dia 10 de dezembro do ano passado. Ele foi alvo de investigações por parte de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI). Naquela sessão, os vereadores votaram parecer favorável à sua cassação dada por uma Comissão Processante. A defesa entrou com Ação Declaratória de Nulidade de Ato Jurídico com pedido de antecipação de tutela, a qual foi concedida pela 1ª Vara da Fazenda Pública no último dia10.

O presidente da Câmara, vereador José Airton Deco de Araújo (PR), foi notificado da decisão judicial por um oficial de justiça às 17 horas de ontem. “Após concedida liminar, eu, como presidente da Câmara, só tenho que cumprir a ordem”, disse Deco, que reconduziu Alcides à vaga que vinha sendo ocupada pelo suplente Paulo Cesar Farias (DEM).

continua após publicidade

Já no plenário, Alcides reafimou que cometeu alguns erros, o maior deles a arrogância dele próprio em relação a algumas pessoas. “Isto porque tive um cargo, onde me sentia mais importante que as demais pessoas”, disse. “Peço perdão por esta arrogância”, declarou. A CPI vai se reunir hoje ou amanhã para analisar a decisão judicial.