Apucarana

Despejo de esgoto polui Rio Pirapó em Apucarana

Da Redação ·
 Poluição ambiental
fonte: Foto: Sergio Tibi
Poluição ambiental

A Secretaria de Meio Ambiente de Apucarana (Sema) e o Ministério Público (MP) flagraram nesta semana o despejo de esgoto in natura, por parte da Sanepar, no Rio Pirapó, na região do Parque Bela Vista. O Rio Pirapó abastece a cidade de Maringá e também é utilizado pela Sanepar em Apucarana no caso de problemas com o Rio Caviúna, principal fonte de captação de água para o município.

A reportagem esteve ontem à tarde no local e encontrou uma grande quantidade de dejetos no rio. A poluição chegou ao manancial após o rompimento de uma tubulação, chamada pela Sanepar de linha de recalque, que levava o esgoto da estação elevatória do Rio Pirapó, localizada nas proximidades do Parque Bela Vista, até a Estação de Tratamento (ETE) Barra Nova.

A contaminação chegou ao conhecimento da Sema por meio de denúncia anônima. O problema foi repassado também ao Ministério Público (MP). Ontem, o promotor Vilmar Fonseca e o secretário de Meio Ambiente, Itamar Gomes de Oliveira, foram até o local. Hoje, técnicos do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) devem vistoriar o rio em Apucarana.

“Essa poluição é gravíssima, pois trata-se de esgoto sanitário não tratado. Segundo o artigo 54 da Lei Ambiental, esse tipo de poluição pode levar os responsáveis para a prisão, pois coloca em risco à saúde pública, já que o Rio Pirapó é utilizado para abastecimento de água”, diz Itamar.

Ele critica a Sanepar e diz que o problema ocorre há vários dias. “Acredito que há um mês esse despejo de esgoto venha ocorrendo”, assinala o secretário. Um laudo será elaborado pela Sema, com fotos, filmagens e também análise da água. O material será encaminhado ao promotor Vilmar Fonseca, que não quis ontem se manifestar ainda em relação ao assunto, mas confirmou a abertura de um inquérito sobre o caso. “É uma total irresponsabilidade da Sanepar e falta de comprometimento com a sociedade”, completou o secretário.            
 

continua após publicidade



VISTORIA - Recentemente o helicóptero contratado pela Sanepar realizou dois sobrevoos no Rio Pirapó. A aeronave percorreu da Captação de Água da Sanepar, em Maringá, até a nascente do rio, no município de Apucarana, retornando a Maringá. Também foram vistoriados diversos afluentes do Pirapó. No total, foram percorridos mais de 200 km em quatro horas de voo. A ação contou com a participação de técnicos da Sanepar e representantes da Defesa Civil Estadual e da Polícia Ambiental.

Todo o percurso e suas margens foram filmados. As imagens foram analisadas pelos integrantes da força-tarefa - para planejamento das ações que desenvolverão por terra e pelo rio, nos próximos dias.

FORÇA-TAREFA - Uma força-tarefa composta por técnicos da Sanepar e representantes da Defesa Civil Estadual e Municipal, Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros, Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e Secretaria Estadual de Meio Ambiente foi criada para identificar a origem de microalgas Oscillatoriales presentes no Rio Pirapó, principal manancial de abastecimento público de Maringá. 

O objetivo do trabalho conjunto é fiscalizar, mapear e analisar a água do Rio Pirapó e seus afluentes. “Iremos percorrer o Rio desde a sua nascente, em Apucarana, até o ponto de captação, localizado em Maringá. Vamos coletar amostras de água no Pirapó e córregos que deságuam no manancial. Com isto será possível localizar o ponto de origem das microalgas”, explicou o gerente regional da Sanepar de Maringá, Valteir Galdino da Nobrega.

Leia mais na edição de sexta-feira (30) na edição de sexta-feira (31) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná