Apucarana

Rodovia BR-376 é liberada após manifestação de moradores

Da Redação ·
Segundo a concessionária CCR RodoNorte, o manifesto na BR 376, em Ortigueira, foi finalizado (Foto: Delair Garcia)
fonte:
Segundo a concessionária CCR RodoNorte, o manifesto na BR 376, em Ortigueira, foi finalizado (Foto: Delair Garcia)

Segundo a concessionária CCR RodoNorte, o manifesto na BR 376, em Ortigueira, foi finalizado. A Rodovia do Café está liberada nos dois sentidos, após ação de reintegração de posse realizada pela Polícia Rodoviária Federal e Polícia Militar, com efetivos de Ponta Grossa, Telêmaco Borba e Londrina. Os manifestantes foram desmobilizados às 22 horas. Eles haviam descumprido o acordo feito com os policiais, de liberação parcial dos motoristas a cada 30 minutos e de liberação total da rodovia às 14 horas. Vários usuários estavam na rodovia desde as 11 horas da manhã, quando a rodovia foi bloqueada.

O congestionamento chegou a 11 quilômetros no sentido Norte e 9 quilômetros no sentido Sul, ao final do bloqueio. Ao longo do dia, a empresa orientou os usuários, nas praças de pedágio, a buscar postos de serviços para minimizar os problemas ao permanecer na rodovia. Os motoristas que ficaram presos na fila e fizeram a opção de retornar foram liberados de pagar a tarifa do pedágio.

Nota

Segundo a empresa, não é possível conceder isenção da tarifa para os munícipes de Ortigueira, conforme reivindicado. As tarifas estão inclusive, neste momento, propiciando a Duplicação da BR 376, que irá ocorrer também em Ortigueira.

A empresa diz ainda o fato de a mais recente lei que buscava regulamentar esta possibilidade ter sido julgada inconstitucional. A Lei Estadual 15.607/2007, que isentava os veículos pertencentes aos moradores de onde estão localizadas as Praças de Pedágio no Estado do Paraná, foi considerada inconstitucional pelo Tribunal de Justiça do Estado do Paraná, e não cabe mais recurso.

A CCR RodoNorte afirma que a concessão da rodovia trouxe inúmeros benefícios a Ortigueira. Um deles é a arrecadação de Impostos: a cidade já recebeu R$ 26,5 milhões em Impostos Sobre Serviços, beneficiando várias áreas do município – a empresa é uma das maiores geradoras de impostos para a cidade.

A concessionária relembra, ainda, que as tarifas existem com a finalidade de propiciar obras permanentes de manutenção da rodovia, além de oferecer Serviço médico, mecânico e de inspeção durante 24 horas por dia aos usuários. As tarifas cobrem, também, as obras de ampliação da Rodovia, como terceiras faixas, acostamentos e também a Duplicação de 244 quilômetros, que já estão sendo realizadas entre Apucarana e Ponta Grossa. Outro ponto importante é que as tarifas e a localização das praças foram definidas pelo Governo do Estado, conforme o contrato da concessão proposto em 1997.


Fonte/autoria: 
Mauricio de Olinda | Ponta Grossa | ARede.info

continua após publicidade