Apucarana

Apucarana: Lagoão não tem previsão de reforma

Da Redação ·
Apucarana: Lagoão não tem previsão de reforma (Foto: TNONLINE)
Apucarana: Lagoão não tem previsão de reforma (Foto: TNONLINE)

A Prefeitura Municipal de Apucarana concluiu o processo licitatório para a reforma da cobertura do Complexo Esportivo José Antônio Basso, o Lagoão. A praça esportiva, interditada há quase um ano, deve receber investimento de R$ 600 mil, do Ministério do Esporte, para execução da obra. Contudo, ainda não há previsão para o início dos reparos e nem para a reativação completa do ginásio.

De acordo o vice-prefeito e diretor do Instituto de desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan), Junior da Femac (PDT), a administração aguarda a liberação da ordem de serviço pela Caixa Econômica Federal.
 

continua após publicidade
confira também



“A expectativa é que a ordem seja assinada ainda este mês e então começamos os trabalhos”, afirma o vice-prefeito. De imediato, as primeiras melhorias serão centralizadas na cobertura do complexo. A área apresenta problemas identificados no início do ano passado, durante vistoria do Corpo de Bombeiros.

Segundo o vice-prefeito, projetos para reformas do alambrado, adequações para viabilizar a acessibilidade de deficientes e recuperação da pista de atletismo estão protocolados e aguardam parecer do Ministério do Esporte.

“A ideia é pegar o que já existe na cidade e melhorar. Assim como fizemos na Praça do Redondo, por exemplo. Mas infelizmente temos que aguardar espaço burocrático”, assinala.

DESATIVADO
O Complexo Esportivo José Antônio Basso foi vistoriado e vetado pelo Corpo de Bombeiros em fevereiro do ano passado. A principal praça de esportes de Apucarana não possui estrutura para a execução das diversas modalidades esportivas além de comprometer a segurança dos frequentadores. Segundo o Corpo de Bombeiros, o local apresenta pendências no que tange a prevenção de incêndios e segurança. O local apresenta problemas como infiltrações e rachaduras nas paredes e goteiras no teto. Os sanitários do ginásio também estão em situações precárias. As calhas e rufos não estão bem vedadas, o que ocasiona goteiras e infiltrações. Paredes e muros pichados completam a imagem desleixada.

O aspecto abandonado tomou a praça esportiva deixando moradores indignados. O administrador Anderson Ballan considera como uma situação “deplorável”. Para ele, a atual situação do complexo reflete a má administração dos antigos gestores. “É uma vergonha deixar chegar nessa situação. Aqui eu já pratiquei basquete, futsal, natação e até atletismo. Muitos talentos foram descobertos aqui”, destaca.

Ballan salienta que a reforma do Lagoão e sua reativação servirá como impulso para que muitos adolescentes tenham uma ocupação. “Muitos jovens ficam sem ter o que fazer e acabam seguindo pelo caminho errado”, analisa. Este ano, a festa de aniversário de Apucarana, que ocorria tradicionalmente no complexo esportivo, terá um novo local a ser definido pelo prefeito Beto Preto (PT).