Apucarana

Iluminação de Natal dever ser cercada de cuidados específicos

Da Redação ·
Iluminação de Natal dever ser cercada de cuidados específicos (Sérgio Rodrigo, da Tribuna do Norte)
fonte:
Iluminação de Natal dever ser cercada de cuidados específicos (Sérgio Rodrigo, da Tribuna do Norte)

Cidades ficam cada vez mais iluminadas com a proximidade do Natal. Moradores e comerciantes capricham na decoração com o famoso pisca-pisca. Porém, além de se preocupar com o efeito estético, é preciso ficar atento a algumas recomendações com o manuseio do adorno. As dicas podem garantir comemorações longe de acidentes.

Gerente da Companhia Paranaense de Energia (Copel), em Apucarana, Marcos Alberto Rodrigues afirma que os principais riscos são os choques elétricos, por conta de fios desencapados. Nesses casos, as crianças são as principais vítimas. “O choque de 110 volts pode causar uma parada cardíaca. A maioria das mortes com energia elétrica ocorre na baixa tensão”, destaca.
 

continua após publicidade
confira também



Para evitar problemas, Rodrigues recomenda atenção desde a compra do produto, para garantir a aquisição de materiais com isolamento de boa qualidade. “Prestar atenção se o cordão de luz possui o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), para ter certeza de que foi testado e aprovado”, aconselha.

Rodrigues observa que reaproveitar pisca-piscas é um hábito comum. Contudo, é preciso ficar alerta em relação à condição dos fios. Se estiverem ressecados, rachados, rompidos ou com lâmpadas quebradas é recomendável evitar o uso. Tentar remendar a fiação também não é aconselhável. O melhor a se fazer é comprar um novo.

Foi exatamente o que Sérgio de Souza fez. Após usar o mesmo pisca-pisca por cerca de 10 anos, o funcionário público decidiu aposentar o enfeite e comparar um novo. “Sempre observo se o material tem qualidade e sigo as orientações de uso, por isso o meu pisca-pisca durou tanto tempo”, comenta Souza, salientando que não instala as luzes na área externa.

ÁREA EXTERNA
Os cuidados durante a instalação externa devem ser redobrados. A fiação fica exposta ao calor e a chuva, aumentando risco de choque elétrico e curto-circuito. O processo instalação deve ocorrer com a rede elétrica desligada. E o mesmo procedimento na hora de retirar o enfeite. O número de lâmpadas instaladas também pode sobrecarregar a rede elétrica. Por isso, antes de ornamentar o imóvel, é aconselhável uma revisão. “Se a iluminação for simples não há necessidade, pois a carga de energia é baixa”, orienta o gerente da Copel. 


Bombeiros alertam população
O tenente Emerson Aparecido Rocha, do Corpo de Bombeiros de Apucarana, alerta sobre os riscos de curto circuito nos cordões de luzes. De acordo com ele, o incêndio que destruiu parte de uma casa no início da semana, no Jardim Colonial, em Apucarana, pode ter começado na fiação do pisca-pisca.

“A informação inicial era que a televisão teria explodido. Porém ao vistoriar o local, notamos que há grande probabilidade de o fogo ter começado na fiação do pisca-pisca”, afirma.

Rocha informa que nesta época do ano, incêndios envolvendo curtos circuitos com iluminação natalina tendem a aumentar. “geralmente as pessoal não se preocupam, pois acham que não é um material perigoso. É importante verificar a procedência do material e as recomendações de montagem e principalmente verificar se a rede elétrica está adequada”.

O tenente ressalta que, mesmo em caso de produtos novos é essencial testar o produto na loja e observar todos os pontos e conexões do cordão. “Se tiver mau contato a tendência é causar aquecimento no ponto e chegar a causar incêndio. Por isso é preciso ter atenção”, reforça.